Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle

Uma CPI para a Previdência

March 22, 2017

Um dos mais combativos senadores da República e um intransigente defensor dos direitos dos trabalhadores, o senador Paulo Paim (PT-RS) apresentou ontem (21) o pedido de criação de uma CPI para investigar a real situação da Previdência Social. “Nós temos dados de fiscais da Receita e eles provaram para nós e vão provar para o Brasil, neste CPI, que a Previdência é superavitária”, afirmou Paim, que protocolou o requerimento com assinaturas de 47 dos 81 senadores, quase o dobro necessário (27) para a criação de uma CPI.

 

Paim quer confrontar o principal argumento do governo golpista, de que a Previdência é deficitária, para barrar o projeto de reforma enviado por Michel Temer que prevê idade mínima de 65 anos e tempo mínimo de 49 anos de contribuição para aposentadoria. “Vamos fazer o debate em todos os estados, para que a população saiba quem está assaltando os cofres da nossa seguridade”, disse.

 

Em vídeo postado no facebook, o senador afirma que o objetivo é saber “quem rouba, quem são os corruptos, onde estão os 500 maiores devedores, quem de forma indevida desloca para outros fins o dinheiro da Previdência”. E faz ainda a indagação: “Vocês sabiam que, em quatro anos, teve gente que descontou do trabalhador mais de R$ 100 bilhões e não passou para a Previdência?”.

 

Com informações da Rede Brasil Atual

Please reload

Leia também:
Please reload