Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle

Um arsenal de 20 mil miguelitos

 

Os ônibus que saírem das garagens amanhã de manhã talvez não cheguem muito longe. Uma fonte dos trabalhadores informou que uma das principais centrais sindicais providenciou um arsenal de 20 mil miguelitos – armadilhas feitas de pregos trançados para furar pneus – para ser empregado contra os rodoviários que tentarem furar a greve geral. Desse total, 6 mil artefatos perfurantes viriam para Niterói, enquanto o restante seria espalhado entre municípios da Baixada Fluminense – as duas regiões que podem ter ônibus circulando hoje.

 

Contudo, mesmo que desviem dessas armadilhas, os ônibus enfrentarão dificuldades para atravessar os piquetes planejados pelos grevistas. A maior concentração está marcada para as 5 horas, em frente às barcas. De lá os trabalhadores vão se deslocar para o Terminal Rodoviário João Goulart e as portas das garagens.

 

Um dos principais alvos dos grevistas são as linhas de ônibus que atravessam a ponte Rio-Niterói. Lideranças do movimento estão mobilizando veículos para criarem barreiras móveis. Os carros dos grevistas deverão ficar emparelhados e rodando a uma velocidade de 5 quilômetros por hora, sem permitir que os veículos de trás ultrapassem. Essa estratégia pode elevar o tempo de travessia da ponte de 13 minutos – em condições normais de trânsito – para até três horas, ao longo de seus 14 quilômetros de extensão.

Please reload

Leia também:
Please reload