Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle

Fórum Alternativo da Água vai elaborar Projeto dos Povos para a Água

March 20, 2018

 

O Fórum Alternativo Mundial da Água (Fama), que ocorre em Brasília, teve hoje (19) debates, oficinas e relatos de experiências de diversos representantes de aproximadamente 170 países. Lideranças indígenas, de movimentos sociais e culturais participaram de sessões plenárias para a elaboração do Projeto dos Povos para a Água e documentos que serão apresentados ao final do fórum, no dia 22.

O Fama já foi realizado na Coreia do Sul e na França, sempre como um evento de contraposição ao Fórum Mundial da Água.

 

O representante do Comitê do Distrito Federal, Thiago Ávila, considera que o “Fórum Mundial da Água não traz debates sociais que incluam as pessoas de todo o mundo e sim, apenas uma minoria. Acreditamos que a guerra da água está se intensificando. Esse fórum (Fama), é uma questão de sobrevivência”.

O objetivo do Fama, segundo a organização, é ser um evento democrático, transparente, participativo, descentralizado e acessível e pretende discutir problemas relacionados à água e ao saneamento, como direito fundamental, além de buscar soluções que representem sustentabilidade e segurança hídrica para o homem.

 

Serão realizadas atividades, oficinas, e debates sobre o acesso à água, mudanças climáticas, impacto das crises hídricas e desastres ambientais, saúde e segurança alimentar.

 

O fórum alternativo é promovido por movimentos sociais, organizações não governamentais, entidades sindicais. Os organizadores esperam receber mais de 7 mil pessoas. Os debates temáticos estão sendo realizados no Parque da Cidade, área central de Brasília, e na Universidade de Brasília.

Please reload

Leia também:
Please reload