Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle

Nitpress leva a literatura fluminense à Bienal

September 2, 2019

 

Representando a literatura fluminense e, particularmente, a produção literária da cidade de Niterói, a Nitpress participou da XIX Bienal do Livro do Rio de Janeiro com uma programação diversificada. Lançamentos de livros, recitais de poesias e leituras dramatizadas de histórias infantis estão entre as atividades desenvolvidas pela editora no estande do projeto Mais Leitura, da Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro, no Pavilhão Laranja do Riocentro.

Abrindo a programação, logo no primeiro dia do evento, 30 de agosto, houve o lançamento do livro livro A transliteração do amor – Uma viagem rumo ao imensurável, de Lialian Do Val. Logo na dedicatória da obra, de 184 páginas, a autora, que é psicóloga e pastora do Ministério Vida Nova de Irajá em Campo Grande, oferece o livro “a todos aqueles que decidiram fazer do amor real não só uma ideologia ou filosofia de vida, mas um instrumento transformador e gerador de uma vida plena, abundante e desafiador de limites – instrumento este capaz de escrever ou ainda reescrever histórias...” O amor é apresentado por ela nesta obra de caráter cristão, como condutor de uma auto-ajuda transformadora.

No dia 3 de setembro, a professora Anabelle Loivos relançou Euclides da Cunha - Da face de um tapuia, livro que integra a coleção Introdução aos Clássicos Fluminenses, da editora Nitpress, organizado por ela juntamente com o professor Luiz Fernando Conde Sangenis. Anabelle também lançou, pela Eduff, um novo livro focalizando o autor de Os Sertões, homenageado este ano na Festa Literária de Paraty, a Flip. 

A coleção Introdução aos Clássicos Fluminenses reúne, de forma inédita, os autores clássicos de origem fluminense que contribuíram significativamente para a formação literária brasileira. Além de apresentar às novas gerações os maiores nomes da literatura regional, a série, produzida em parceria com a Academia Fluminense de Letras e o Cenáculo Fluminense de História e Letras, visa a contribuir para o resgate e fortalecimento da identidade fluminense. Euclides da Cunha - Da face de um tapuia é o quarto volume desta coleção e celebra um dos maiores ícones da literatura brasileira, natural de Cantagalo, no Estado do Rio.

No sábado, dia 7 de setembro, a editora realizou dois eventos. O primeiro, às 16h, foi o lançamento do livro Um pé de sonho, de Marisa Maia de Melo, com ilustrações de Marvin Ballot Blattert. No melhor estilo das fábulas infantis, a autora transporta os leitores para dentro de um mundo mágico, explorando o universo dos sonhos através de uma história onírica encantada. Destaque para os excelentes desenhos do jovem ilustrador, acadêmico de Belas Artes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Marisa também é contadora de histórias para crianças e mantém um canal no YouTube com dezenas de vídeos produzidos por ela, chamado “Histórias Viajantes”.

Às 18h, um recital coordenado pela professora de declamação Neide Barros Rego espalhou a poesia pela Bienal. A poetisa, cantora e declamadora Neide Barros Rego fundou e dirige há seis décadas o curso Arte de Dizer, que vem formando, em Niterói, gerações de declamadores e preservando a arte poética, além de realizar recitais nos palcos mais importantes do Brasil e até no exterior. Integrante da Academia Fluminense de Letras e de outras inúmeras instituições acadêmicas, ela também criou e dirige o Centro Cultural Maria Sabina, um dos espaços de referência para divulgação da literatura fluminense.

Participaram do recital os declamadores Walter Fontes, Alberto Araújo, Alex Peixoto da Costa, Gentil da Costa Lima, Angela Riccomi, Graça Thuler, Gracinha Rego, Nilde Barros Diuana, Luiz Erthal, Paulo Roberto Cechetti, Mariney Kleez e André Varella, que levaram ao público poemas de Carlos Drummond de Andrade, Casimiro de Abreu, Cecília Meireles, Edmo Lutterbch, Luís Antônio Pimentel, Renato de Lacerda e outros poetas.

Defesa do meio ambiente

No domingo, às 16h, foi a vez do relançamento do livro Quero minha água de volta, de Fabiana Corrêa. Baseado na obra "Água, recurso vital que deve ser preservado", de Adílson Santiago Pires, o livro traz imagens e informações para a economia de água, com linguagem simples e destinada aos alunos da 1ª à 5ª. série do ciclo básico do Ensino Fundamental. Este livro nasceu da preocupação com três graves problemas que estão ameaçando a sobrevivência das pessoas e do planeta : as mudanças climáticas , a crise hídrica e as viroses causadas pelo mosquito aedes aegypti. Antes do inicio da revolução industrial a produção de energia elétrica, alimentos e bens de consumo era realizada artesanalmente com pouca agressão ao meio ambiente. A partir de 1850 o crescimento da população exigiu o desenvolvimento de processos e máquinas para aumentar a escala da produção, e assim atender ao aumento da demanda da população. Este crescimento exigiu um acréscimo do consumo de combustíveis fósseis, principalmente do carvão e do petróleo. A queima destes combustíveis resulta na emissão de gases estufa para a atmosfera, cujo principal componente é o dióxido de carbono (CO2). O acumulo desses gases na atmosfera dificulta o retorno ao espaço dos raios solares que atingem a superfície terrestre. Como resultado a temperatura do meio ambiente vem aumentando e provocando alterações climáticas no planeta, tais como secas prolongadas e inundações, ondas de calor, derretimento das geleiras com consequente aumento do nível dos mares e aumento do numero e da intensidade dos furacões, colocando em risco a sobrevivência no planeta. Estudo divulgado pela OMS e Unicef em 03 de julho de 2015, indicou que 1/3 da população mundial, cerca de 2,4 bilhões de pessoas, não tem acesso a água potável e a saneamento básico. Em 2014 e 2015 a Região Sudeste, onde estão situados os estados de SP, RJ, MG e ES, foram castigadas por uma crise de abastecimento hídrico com prejuízos para a população, agricultura, atividades industriais e a geração de energia elétrica. Dados divulgados em 2011 pelo Instituto Trata Brasil indicavam que o Brasil ocupava a 112a. posição no ranking mundial em saneamento básico. Pesquisa do Sistema Nacional de Informações Sobre Saneamento Básico (base 2010) informa que menos de 46% do esgoto no país é coletado, e que deste total somente cerca de 38% recebem algum tipo de tratamento. Este cenário, agravado pela falta de conscientização da população, favorece a propagação de doenças endêmicas, dentre as quais estão as viroses provocadas pelo mosquito aedes aegypti - a dengue, a chicungunya e a zica vírus. O objetivo desta publicação é fornecer informações ao publico infantil para que futuras gerações possam se conscientizar e adotar medidas preventivas para amenizar esses graves problemas ambientais e de saúde pública.Representando a literatura fluminense e, particularmente, a produção literária da cidade de Niterói, a Nitpress participou da XIX Bienal do Livro do Rio de Janeiro com uma programação diversificada. Lançamentos de livros, recitais de poesias e leituras dramatizadas de histórias infantis estão entre as atividades desenvolvidas pela editora no estande do projeto Mais Leitura, da Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro, no Pavilhão Laranja do Riocentro.Abrindo a programação, logo no primeiro dia do evento, 30 de agosto, houve o lançamento do livro livro A transliteração do amor – Uma viagem rumo ao imensurável, de Lialian Do Val. Logo na dedicatória da obra, de 184 páginas, a autora, que é psicóloga e pastora do Ministério Vida Nova de Irajá em Campo Grande, oferece o livro “a todos aqueles que decidiram fazer do amor real não só uma ideologia ou filosofia de vida, mas um instrumento transformador e gerador de uma vida plena, abundante e desafiador de limites – instrumento este capaz de escrever ou ainda reescrever histórias...” O amor é apresentado por ela nesta obra de caráter cristão, como condutor de uma auto-ajuda transformadora.No dia 3 de setembro, a professora Anabelle Loivos relançou Euclides da Cunha - Da face de um tapuia, livro que integra a coleção Introdução aos Clássicos Fluminenses, da editora Nitpress, organizado por ela juntamente com o professor Luiz Fernando Conde Sangenis. Anabelle também lançou, pela Eduff, um novo livro focalizando o autor de Os Sertões, homenageado este ano na Festa Literária de Paraty, a Flip. A coleção Introdução aos Clássicos Fluminenses reúne, de forma inédita, os autores clássicos de origem fluminense que contribuíram significativamente para a formação literária brasileira. Além de apresentar às novas gerações os maiores nomes da literatura regional, a série, produzida em parceria com a Academia Fluminense de Letras e o Cenáculo Fluminense de História e Letras, visa a contribuir para o resgate e fortalecimento da identidade fluminense. Euclides da Cunha - Da face de um tapuia é o quarto volume desta coleção e celebra um dos maiores ícones da literatura brasileira, natural de Cantagalo, no Estado do Rio.No sábado, dia 7 de setembro, a editora realizou dois eventos. O primeiro, às 16h, foi o lançamento do livro Um pé de sonho, de Marisa Maia de Melo, com ilustrações de Marvin Ballot Blattert. No melhor estilo das fábulas infantis, a autora transporta os leitores para dentro de um mundo mágico, explorando o universo dos sonhos através de uma história onírica encantada. Destaque para os excelentes desenhos do jovem ilustrador, acadêmico de Belas Artes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Marisa também é contadora de histórias para crianças e mantém um canal no YouTube com dezenas de vídeos produzidos por ela, chamado “Histórias Viajantes”.Às 18h, um recital coordenado pela professora de declamação Neide Barros Rego espalhou a poesia pela Bienal. A poetisa, cantora e declamadora Neide Barros Rego fundou e dirige há seis décadas o curso Arte de Dizer, que vem formando, em Niterói, gerações de declamadores e preservando a arte poética, além de realizar recitais nos palcos mais importantes do Brasil e até no exterior. Integrante da Academia Fluminense de Letras e de outras inúmeras instituições acadêmicas, ela também criou e dirige o Centro Cultural Maria Sabina, um dos espaços de referência para divulgação da literatura fluminense.Participaram do recital os declamadores Walter Fontes, Alberto Araújo, Alex Peixoto da Costa, Gentil da Costa Lima, Angela Riccomi, Graça Thuler, Gracinha Rego, Nilde Barros Diuana, Luiz Erthal, Paulo Roberto Cechetti, Mariney Kleez e André Varella, que levaram ao público poemas de Carlos Drummond de Andrade, Casimiro de Abreu, Cecília Meireles, Edmo Lutterbch, Luís Antônio Pimentel, Renato de Lacerda e outros poetas.Defesa do meio ambienteNo domingo, às 16h, foi a vez do relançamento do livro Quero minha água de volta, de Fabiana Corrêa. Baseado na obra "Água, recurso vital que deve ser preservado", de Adílson Santiago Pires, o livro traz imagens e informações para a economia de água, com linguagem simples e destinada aos alunos da 1ª à 5ª. série do ciclo básico do Ensino Fundamental. Este livro nasceu da preocupação com três graves problemas que estão ameaçando a sobrevivência das pessoas e do planeta : as mudanças climáticas , a crise hídrica e as viroses causadas pelo mosquito aedes aegypti. Antes do inicio da revolução industrial a produção de energia elétrica, alimentos e bens de consumo era realizada artesanalmente com pouca agressão ao meio ambiente. A partir de 1850 o crescimento da população exigiu o desenvolvimento de processos e máquinas para aumentar a escala da produção, e assim atender ao aumento da demanda da população. Este crescimento exigiu um acréscimo do consumo de combustíveis fósseis, principalmente do carvão e do petróleo. A queima destes combustíveis resulta na emissão de gases estufa para a atmosfera, cujo principal componente é o dióxido de carbono (CO2). O acumulo desses gases na atmosfera dificulta o retorno ao espaço dos raios solares que atingem a superfície terrestre. Como resultado a temperatura do meio ambiente vem aumentando e provocando alterações climáticas no planeta, tais como secas prolongadas e inundações, ondas de calor, derretimento das geleiras com consequente aumento do nível dos mares e aumento do numero e da intensidade dos furacões, colocando em risco a sobrevivência no planeta. Estudo divulgado pela OMS e Unicef em 03 de julho de 2015, indicou que 1/3 da população mundial, cerca de 2,4 bilhões de pessoas, não tem acesso a água potável e a saneamento básico. Em 2014 e 2015 a Região Sudeste, onde estão situados os estados de SP, RJ, MG e ES, foram castigadas por uma crise de abastecimento hídrico com prejuízos para a população, agricultura, atividades industriais e a geração de energia elétrica. Dados divulgados em 2011 pelo Instituto Trata Brasil indicavam que o Brasil ocupava a 112a. posição no ranking mundial em saneamento básico. Pesquisa do Sistema Nacional de Informações Sobre Saneamento Básico (base 2010) informa que menos de 46% do esgoto no país é coletado, e que deste total somente cerca de 38% recebem algum tipo de tratamento. Este cenário, agravado pela falta de conscientização da população, favorece a propagação de doenças endêmicas, dentre as quais estão as viroses provocadas pelo mosquito aedes aegypti - a dengue, a chicungunya e a zica vírus. O objetivo desta publicação é fornecer informações ao publico infantil para que futuras gerações possam se conscientizar e adotar medidas preventivas para amenizar esses graves problemas ambientais e de saúde pública.

Please reload

Leia também:
Please reload