Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle

Nitpress lança livro-denúncia de Carlos Lupi

November 21, 2019

“Um golpe contra os trabalhadores” (editora Nitpress), livro-denúncia do presidente do PDT, Carlos Lupi, será lançado nesta sexta-feira, dia 22, às 17h, na sede da Fundação Leonel Brizola/Alberto Pasqualini (Rua do Teatro, 39, Centro, Rio de Janeiro). A obra, que também traz relatos autobiográficos e informações relevantes sobre a história do Trabalhismo, é um manifesto de protesto contra o desmonte do Ministério do Trabalho e a supressão das conquistas trabalhistas iniciada no governo Michel Temer e aprofundada na gestão atual de Jair Bolsonaro.

 

O candidato do PDT à presidência da República nas últimas eleições, Ciro Gomes, assina o prefácio do livro, cabendo o texto das orelhas ao jornalista Léo Lupi, filho do autor.  Segundo Lupi, “o livro é uma homenagem aos trabalhadores, a Getúlio Vargas, João Goulart ,a Brizola e ao Trabalhismo “. Segue, abaixo, uma resenha do livro fornecida pela editora:

 

O país dos Catilinas

 

Não é de hoje que a política rende bons livros, sem que sejam, necessariamente, estudos teóricos. Quem teve o prazer de ler “In Catilinam Orationes Quattuor”, ou “Catilinárias”, de Marco Túlio Cícero, sabe disso. Estão ali o humor, a acidez, a voracidade e a inteligência com que o senador romano frustrou seu adversário Lúcio Sérgio Catilina, em 63 a.C., denunciando uma conspiração, que, por meios violentos, incluindo assassinatos de parlamentares com o emprego de milícias, o levaria ao controle da República.

 

Pois novembro e a Editora NitPress trazem uma dessas obras, que nos fará, certamente, compreender um pouco mais o fenômeno político. Ao mesmo tempo, ela aponta o que seu autor considera um dos mais infames golpes no Brasil, em um amplo movimento iniciado com os acontecimentos que levaram ao suicídio do presidente Getúlio Vargas até a ascensão de Jair Bolsonaro e de seu super ministro da Economia, Paulo Guedes.

 

O livro se chama “Um golpe contra os trabalhadores” e seu autor é Carlos Lupi, atual presidente nacional do PDT e uma testemunha importante de décadas da agitação política nacional. Herdeiro legítimo do capital filosófico de Leonel Brizola e ministro do Trabalho em dois governos petistas, ele enfatiza a avassaladora desvalorização dos trabalhadores e de sua organização sindical e os ataques ao patrimônio brasileiro, representado pela venda, “a preço de banana”, de empresas estatais e recursos econômicos, promovida, a seu ver, pela fusão de interesses entre as elites internacionais e nacionais.

 

“Um golpe contra os trabalhadores” aponta o dedo da História para aqueles que Lupi considera os grandes vilões da vida pública do País, mas também é um documento, na medida em que registra eventos memoráveis da política brasileira e seus bastidores. Um deles foi a articulação, que surrupiou de Brizola e seus partidários a legenda do PTB, obrigando-o a fundar o PDT. Lupi fala com autoridade, pois estava lá, presenciando tudo.

 

Seu texto flutua entre o humor ácido e o ataque direto aos que acredita serem os verdadeiros inimigos da nação brasileira. Os capítulos são temáticos e não definidos por ordem cronológica. Mesclam fatos conhecidos e inéditos à análise do autor. Um deles, inclusive, destaca o advento das fake news e do fundamentalismo no cenário político nacional.

 

A volta dos exilados no final dos anos 70; a efervescência política das Diretas Já; a promulgação da Constituição Cidadã de 1988; as convulsões sociais e econômicas que se seguiram, inclusive com a queda de Fernando Collor de Mello; a ascensão da esquerda ao poder; o impeachment de Dilma Rousseff; os artifícios, que entregaram a nação nas mãos da direita radical; Lupi registrou tudo isso em seu livro, que parece afirmar: o Brasil é o país dos Catilinas.

 

José Messias Xavier

 

Please reload

Leia também:
Please reload