Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

  • Da Redação

Barcas podem chegar a São Gonçalo


A linha de barcas São Gonçalo-Praça XV pode finalmente se tornar realidade com a entrega dos serviços hidroviários na Baía de Guanabara a um novo concessionário. A revelação foi feita pelo secretário estadual de Transportes, Rodrigo Vieira, durante a segunda audiência pública para a nova licitação da concessão do serviço público intermunicipal de transporte aquaviário, no auditório da Associação Comercial e Industrial do Estado do Rio de Janeiro, em Niterói. Na segunda, dia 20, epresentantes da sociedade civil, parlamentares e usuários do transporte já haviam se reunido na Associação Comercial do Rio de Janeiro, no Centro, para conhecer os requisitos básicos da nova concorrência. Ele anunciou também que a tarifa cobrada na estação das Barcas de Charitas, na Zona Sul de Niterói, deve ter seu valor reduzido de forma expressiva ainda esse ano, sendo implantada a cobrança convencional de R$ 5,90.

A nova concessionária deverá apresentar, no prazo de um ano a contar da assinatura do contrato, estudos de viabilidade para a implantação de linhas conectando a Praça XV a São Gonçalo (linha social) e Praça XV e/ou Santos Dumont ao Galeão (linha seletiva). A concessionária poderá, ainda, propor a criação de novas linhas, desde que dentro da área de concessão, mediante a apresentação de estudo de viabilidade. Caberá ao poder concedente discutir e validar tecnicamente cada proposta apresentada.

Na abertura da audiência pública, Rodrigo Vieira, explicou que a decisão da CCR Barcas de propor a rescisão antecipada do contrato criou para o estado a oportunidade de realizar a revisão do atual modelo de concessão.

- Esse é o momento ideal para que façamos as mudanças necessárias. Nosso objetivo é propor um contrato mais eficiente para a sociedade e atrativo para o potencial concessionário. Entre as solicitações está a implantação de sistemas de indicadores que garantam a qualidade da prestação do serviço, além da possibilidade de implantação de novas linhas no decorrer da concessão – ressaltou o secretário.

Na ocasião, também foram apresentados os parâmetros para a licitação e as exigências que terão de ser cumpridas pelas concorrentes. A empresa ganhadora deverá operar, pelo prazo de 20 anos, o serviço de transporte aquaviário na Baía de Guanabara e na Baía de Ilha Grande. Além disso, a nova concessionária deverá explorar, obrigatoriamente, durante o prazo da concessão, as linhas municipais Praça XV – Cocotá e Praça XV – Paquetá, autorizadas pela Prefeitura do Rio.

- Estamos discutindo com a Secretaria Municipal de Transportes a implementação de um modelo para melhor equilíbrio destas operações, visando atender de forma mais adequada à demanda, sem prejuízos à qualidade do serviço aquaviário – destacou Rodrigo Vieira.

Para a assinatura do contrato, a empresa vencedora deverá aprovar, junto ao poder concedente, o primeiro Plano de Operações, que será revisado anualmente, contemplando: grade horária por linha e sentido para dias úteis, feriados e finais de semana; horários de primeira e última viagem para cada linha e sentido; classes de embarcação adotadas em cada linha e embarcações de reserva; e compromisso de oferta mínima, medido em lugares x hora/sentido.

Os ativos da CCR Barcas, definidos como bens reversíveis, serão disponibilizados sem ônus para a nova concessionária. Os demais ativos poderão ou não ser adquiridos por valores máximos que serão fixados no edital de licitação, com base em compromisso de venda a ser firmado pela atual operadora.

O edital também ressaltará que as propostas de tarifas iniciais de equilíbrio dos licitantes não poderão ser superiores às tarifas atualmente praticadas. Os reajustes ocorrerão a cada 12 meses, a contar de 12 de fevereiro de 2017. Os subsídios referentes ao Bilhete Único Intermunicipal serão mantidos.

#BarcasSãoGonçalo

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso