Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

TJ-RJ no STF. Farinha pouca...


Como diz o ditado, "farinha pouca, meu pirão primeiro". O presidente do Tribunal de Justiça (TJ) do Rio, desembargador Milton Fernandes, foi ontem(27) ao Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, para garantir o cumprimento do repasse estadual para pagamento dos servidores e magistrados do TJ.

O desembargador enviou nota aos funcionários do TJ alegando que houve desrespeito do governo do Rio ao acordo firmado junto ao STF, que determinava o repasse nos valores referentes à folha líquida do Judiciário até o dia 20 de cada mês.

Na nota, o presidente do TJ informou que apenas R$ 38 milhões haviam sido repassados ao Judiciário para o pagamento da folha, valor inferior à totalidade dos salários do Judiciário fluminense. Segundo ele, o governo do estado se comprometeu a repassar o restante até dia 10 de abril

“Esta presidência, não concordando com a posição do Poder Executivo, já está adotando as providências administrativas e judiciais cabíveis para que seja respeitada a autonomia do Poder Judiciário”, escreveu o desembargador. Entre as medidas podem estar, inclusive, o pedido de bloqueio de verbas da União ao estado para pagar o Judiciário.

A Secretaria de Fazenda foi procurada para se pronunciar, mas até a publicação desta matéria ainda não havia se manifestado.

Fonte: Agência Brasil


Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso