Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

  • Luiz Augusto Erthal

Crônica da renúncia anunciada


O vereador Sandro Araújo (PPS) frustrou, nesta terça-feira (15), boa parte do meio político de Niterói, que esperava o anúncio de sua renúncia ao mandato recebido na última eleição municipal, durante a sessão da Câmara. A "provável" renúncia chegou a ser anunciada pelo colunista André Luiz Alzer, do caderno "Globo Niterói", publicado pelo jornal carioca.

- Venho hoje, aqui, renunciar. Não ao meu mandato, mas à fórmula arcaica da política brasileira. A coisa por aqui não flui, e eu renuncio a isso - afirmou em pronunciamento na tribuna do plenário Brígido Tinoco.

Sem detalhar as causas que o levaram a cogitar a renúncia, Sandro admitiu haver "sentimento e ressentimento" acumulado nos poucos meses em que tem participado do legislativo municipal. Em seu blog pessoal ele chegou a considerar a ideia da renúncia, mas disse que foi uma mensagem lançada como "um bilhete na garrafa", invocando a metáfora como instrumento usado em sua faceta de escritor (é policial federal, autor de romances policiais e já publicou quatro livros de crônicas e ficção antes de chegar à Câmara).

Mesmo reconhecendo ser "neófito" e "iniciante", o vereador - sempre mantendo o tom enigmático em torno das reais causas de suas angústias - encerrou a fala com uma demonstração de determinação:

- Não vou abaixar a cabeça e concordar com essa forma tosca de se fazer política. Vou seguir em frente, nem que seja na marra e na voadora.

#SandroAraújo #CâmaradeNiterói

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso