Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

  • Renata Martins/Agência Brasil

Mais de 700 náufragos mortos em 5 anos


As equipes que trabalham nas buscas das vítimas do naufrágio da embarcação “Capitão Ribeiro” localizaram mais nove corpos na manhã desta quinta-feira (Marcelo Flexa/Secom)

Em cinco anos 713 pessoas morreram no Brasil em acidentes com embarcações. 59% dessas mortes ocorreram na Região Norte. Esses números são do Ministério da Saúde sobre mortes em acidentes de transporte por água, entre 2011 e 2015. Os dados de 2016 ainda não estão disponíveis. Até o fechamento desta edição do TODA PALAVRA, as tragédias de Salvador e do Pará haviam registrado 18 e 21 vítimas fatais, respectivamente.

O Amazonas é o estado com o maior número de vítimas. Mais de 240 pessoas nos últimos cinco anos do levantamento. O Pará é o segundo em número de mortes. Segundo o Comando do 4º Distrito Naval, só neste ano sete barcos naufragaram no Pará, com quinze vítimas. Os dados não contabilizam ainda os dois naufrágios deste mês.

Em Óbidos, quando um rebocador de balsas afundou. Os corpos de nove vítimas ainda não foram resgatados do fundo do Rio Amazonas e o de terça-feira que já contabiliza mais de 20 vítimas.

De acordo com o capitão de fragata Caio César, da Capitania dos Portos em Belém, mais de 10 mil embarcações para transportes de passageiros no Pará foram fiscalizadas em 2017.

Ito Braga, professor de Engenharia naval da Universidade Federal do Pará lembra que é preciso tomar alguns cuidados antes de entrar nas embarcações. De acordo com a Antac, por ano mais de nove milhões de passageiros trafegam pelos rios do Amazônia.

#NaufrágionoPará #NaufrágioemSalvador #Vítimasdenaufrágios #CapitãoRodrigo #CavaloMarinhoI

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso