Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Anvisa autoriza compra de lote da vacina chinesa


Governo de São Paulo ainda espera a agência aprovar pedido feito em setembro para compra de insumos rumo à fabricação de 40 milhões de doses da vacina.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou na tarde de sexta-feira (23) a compra de um lote de seis milhões de doses da CoronaVac, vacina produzida pelo laboratório chinês SinoVac Live Science em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo. O contrato entre o governo paulista e a empresa prevê a aquisição de 46 milhões de doses, sendo que seis milhões delas virão prontas da China.

Neste momento, a vacina está na terceira fase de testes, quando sua eficácia é testada em voluntários. Por enquanto, a aplicação dela ainda não está autorizada. Os resultados da segunda fase foram considerados positivos. Na nova fase, estão sendo aplicadas 15 mil doses em nove mil voluntários e cada um recebe duas delas.

A decisão da Anvisa é o mais recente capítulo da divergência entre João Doria, governador de São Paulo, e o presidente Jair Bolsonaro. Na terça-feira (20), o Ministério da Saúde anunciou que adquiria as 46 milhões de doses. Mas no dia seguinte, quarta-feira (21), Bolsonaro rechaçou publicamente a declaração de seu ministro, Eduardo Pazuello. Ele afirmou taxativamente que nenhuma vacina chinesa seria comprada porque sua origem não parecia confiável. Os dois vieram a público contornar o que parecia ser uma crise dentro do governo.

No capítulo seguinte, na quinta-feira (22), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, acusou a Anvisa de retardar a fabricação da CoronaVac no Brasil ao atrasar a liberação para importação dos insumos necessários para produção da CoronaVac. O órgão negou atraso. E explicou em nota oficial que o pedido tinha sido analisado, mas que foram encontradas "discrepâncias", sem especificar quais. Segundo Dimas Covas, a decisão da Anvisa só sairá no dia 11 de novembro.

"Uma liberação que ocorre em dois meses deixa de ser excepcional", disse.

Mas, segundo a agência, a análise final deve ocorrer no dia 4 do mesmo mês.

"Cabe ressaltar que esse processo se encontrava pautado para o dia 4 de novembro, justamente para que houvesse tempo hábil para o atendimento das discrepâncias apontadas no processo referente à matéria-prima vacinal", informou a nota.

De acordo com o calendário previsto pelo governo de São Paulo, a aplicação das primeiras doses da CoronaVac será em profissionais da saúde e vai começar no dia 15 de dezembro.


Fonte: Agência Sputnik

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle