Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Araújo diz que visita de Pompeo não foi eleitoral nem intervencionista


Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, dá suas explicações no Senado (Edilson Rodrigues/Agência Brasil)

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, negou nesta quinta-feira (24) que a visita a Roraima do secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, serviu de plataforma eleitoral para o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Com argumentos nem sempre fiéis aos fatos, o chanceler participou de uma sessão da Comissão de Relações Exteriores (CRE) do Senado, para explicar a visita de Pompeo e negou que tenha havido afronta à soberania.

"Foi dito, e talvez seja uma das críticas principais à visita do secretário Mike Pompeo, que ela foi uma plataforma eleitoral para as eleições de novembro nos EUA. Bem, não é assim. Um dos elementos que mostra que não é assim é que existe nos Estados Unidos uma grande convergência entre republicanos e democratas sobre a situação na Venezuela", disse Araújo.

Para o ministro, "tudo indica" que uma eventual vitória do democrata Joe Biden nas eleições de novembro não mudará a posição dos EUA em relação à Venezuela e ao governo de Nicolás Maduro.

"Não faz muito sentido pensar nisso como uma plataforma eleitoral, já que não há diferença substantiva entre posição de republicanos e democratas em relação à Venezuela. Ou seja, tudo indica que, se houver uma vitória democrata nas eleições de novembro, a atitude norte-americana para a Venezuela continuará exatamente a mesma", justificou Araújo.

Divergências

A realidade, no entanto, não é bem assim como disse o chanceler brasileiro. Há divergências: enquanto o governo Trump já declarou várias vezes que "todas as opções estão na mesa" na Venezuela, os democratas, liderados por Joe Biden, descartaram uma intervenção armada contra o governo de Maduro.

Não apenas isso. Também há questionamentos entre os democratas sobre se o endurecimento das sanções por Trump para forçar a queda do atual governo de esquerda venezuelano seria o melhor caminho, já que Maduro continua no poder com apoio da maioria da população manifestado nas urnas nas últimas eleições.

Bandeira brasileira x bandeira americana

O senador Telmário Mota (Pros-RR), que pediu a audiência pública, mostrou a Araújo uma bandeira do Brasil e uma dos EUA e presentou o chanceler com a bandeira brasileira.

- É esta bandeira que temos que abraçar. Os americanos já amam a bandeira deles.

O chanceler respondeu:

- Não tenho vergonha nenhuma de termos os EUA como um parceiro, uma verdadeira democracia, uma verdadeira economia de mercado e um país respeitado no mundo. Queremos uma política externa que seja elogiada pelo povo brasileiro — disse.

O ministro assegurou que a Constituição não foi violada, e que o Brasil respeita o princípio de não intervenção, mas defende a democracia. Ele se referiu a um erro de tradução que teria causado polêmica, que dizia que Pompeu havia afirmado que “vamos retirar essa pessoa e colocá-la no lugar certo”, enquanto, segundo ele, o correto seria “nosso trabalho é incansável e chegaremos ao lugar certo”.

Governos do PT

Araújo criticou os governos do PT que, segundo ele, feriram os interesses do Brasil. Referindo-se ao projeto de uma refinaria em Pernambuco com a participação da Venezuela que não prosperou, ele lembrou que o país deu calote em importações de bens e serviços brasileiros. "O contribuinte brasileiro arcou ou vai arcar com um prejuízo de mais de R$ 700 milhões", disse.

A realidade, no entanto, mostra que o comércio com a Venezuela era superavitário para o Brasil nos governos Lula e Dilma.

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle