Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Candidato de Jordy: "É difícil Jordy não ser candidato"


Depois de lançar a candidatura de Rayol (d), Jordy deve assumir a cabeça da chapa bolsonarista / Facebook 06-04-20

Por Luiz Augusto Erthal


Cinco meses depois de ser lançado pelo deputado federal Carlos Jordy (PSL), vice-líder do governo na Câmara, como candidato a prefeito de Niterói, o delegado federal aposentado Antônio Rayol (Podemos) acredita, agora, às vésperas das convenções de seus partidos, que o seu lugar na chapa bolsonarista será ocupado pelo próprio Carlos Jordy.

Oficialmente, Jordy ainda não confirma a candidatura, que transformaria a eleição de Niterói em um dos principais campos de batalha das forças bolsonaristas, mas toda a sua movimentação caminha nessa direção. Neste 11 de setembro, sexta-feira, a linha de frente do bolsonarismo, liderada pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro, um dos filhos do presidente, desembarca na cidade para um grande ato direitista no clube Canto do Rio.

As torres gêmeas da política niteroiense, dominada nos últimos 33 anos pelo PDT e pelo PT, perceberão o impacto da primeira grande ofensiva da extrema direita na cidade desde a redemocratização. São aguardados, além de Eduardo Bolsonaro, os também deputados federais Filipe Barros (PSL/PR), Carla Zambelli (PSL/SP) e mais as bancadas completas de deputados estaduais e federais do Estado do Rio eleitos no rastro de Jair Bolsonaro em 2018.

Será o cenário perfeito para Carlos Jordy anunciar, com pompa e circunstância, sua candidatura a prefeito de Niterói pelo PSL, que fará sua convenção no dia seguinte, sábado, 12. "Acho difícil o Jordy não aceitar", declarou o até aqui "candidato" do próprio Jordy. Mas o próprio Antônio Rayol admite que desde o dia 20 de agosto já havia suspendido a sua agenda de pré-candidato, dedicando-se às articulações para o lançamento de uma grande frente de extrema direita, baseada em uma aliança do PSL com o Podemos, o PTC e possivelmente mais dois partidos menores.

Até alguns dias antes de praticamente abandonar sua pré-candidatura, Rayol concedeu entrevista ao TODA PALAVRA, dentro da série de matérias produzidas pelo jornal com os pré-candidatos a prefeito desde o final do ano passado. Sua saída de cena como ator principal que se deu em seguida, no entanto, parece não o incomodar. "Eu sempre fui o plano B", afirma.

Segundo ele, o start da manobra de formação dessa frente política, favorecida pelo movimento feito pelo presidente Jair Bolsonaro nos últimos tempos, novamente em direção ao PSL, foi uma reunião da qual participou em Brasília, no dia 19 de agosto, com o deputado federal Felício Laterça (PSL/RJ) e o presidente do Podemos de Niterói, Pedro Castilho. No mesmo momento, revelou, Carlos Jordy se encontrava no Palácio do Planalto em reunião com o próprio presidente.

Depois desta, Rayol disse que já foram realizadas mais duas reuniões em Brasília, onde parece funcionar, na prática, o escritório eleitoral dos bolsonaristas de Niterói. As discussões agora, segundo ele, giram em torno do candidato a vice, recaindo, conforme diz, a preferência sobre o seu nome. Por ser filiado ao Podemos, cujo controle político está nas mãos do senador Romário, Rayol pode, de fato, ajudar a montar o quebra-cabeça da aliança.


Romário postou foto ao lado de Carlos Jordy no Facebook, praticamente selando a aliança com o Podemos

No início desta semana Romário postou no Facebook uma foto com Jordy e a legenda: “Juntos em Niterói @carlosjordy”. Porém, o também delegado federal aposentado Deuler da Rocha, até agora pré-candidato a prefeito pelo PSL, é outro nome cotado para a vice. As coincidências entre Deuler e Rayol vão além do cargo comum que ocuparam na Polícia Federal. Ambos registraram 2% de intenções de votos na mais recente pesquisa eleitoral divulgada, do instituto Paraná Pesquisas.

Outros pretendentes a vice têm se apresentado, entre eles o próprio irmão de Jordy, Renan Leal. O ex-possível candidato não teme se tornar também ex-possível vice. Diz que acatará a decisão da aliança. "Não faço questão", afirma Antônio Rayol.


Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle