Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Codepink lidera Nobel da Paz para médicos cubanos


“Em meio a uma pandemia global sem precedentes na história moderna, há um pequeno grupo de um pequeno país que deu esperança e inspiração às pessoas em todo o mundo: os médicos e enfermeiros cubanos que fazem parte da Brigada Médica Internacional Henry Reeve, que agora trabalham em 21 países para combater o Covid-19.“

Com essa introdução, a organização não governamental Codepink – uma das mais influentes no mundo – redigiu neste domingo (14) uma petição ao Comitê do Prêmio Nobel da Paz, reivindicando a concessão do prêmio máximo para esse grupo de profissionais de Saúde cubano.

“Em reconhecimento à sua magnífica solidariedade e abnegação, salvando milhares de vidas e colocando suas próprias vidas em risco, pedimos que lhes concedam o Prêmio Nobel da Paz deste ano”, destaca o documento da Codepink, organização norte-americana liderada por mulheres que se opõem ativamente a iniciativa de guerras e militarismos, sempre em defesa da paz e dos direitos humanos, denunciando regimes repressivos apoiados pelos EUA.

Codepink explica que Henry Reeve, que inspira a Brigada Médica, foi um jovem americano que deixou o Brooklyn, nos Estados Unidos, aos dezenove anos para ingressar na causa da independência cubana e se tornar um general de brigada do Exército de Libertação. A brigada com seu nome foi criada pelo líder cubano Fidel Castro em 19 de setembro de 2005, depois que os Estados Unidos rejeitaram a oferta de enviar 1.500 médicos cubanos para prestar assistência após o furacão Katrina.

“O pessoal médico da brigada (7.400 trabalhadores voluntários da saúde) prestou assistência em desastres e pré-Covid-19 a mais de 3,5 milhões de pessoas em 21 países devastados pelos piores desastres naturais e epidemias do mundo. Estima-se que 80.000 vidas foram salvas como resultado direto dos tratamentos médicos de emergência de primeira linha da Brigada para pacientes nesses países”, destaca ainda a petição enviada ao Comitê do Prêmio Nobel da Paz.

Codepink aponta como um dos atos “mais heróicos” da brigada o envio de mais de 400 médicos enfermeiros e outros profissionais da Saúde para a África Ocidental para combater a pandemia de Ebola, em 2014- 2015. “Essa equipe constituiu a maior operação de campo médico na Serra Leoa, Guiné e Libéria”, informa o texto, lembrando que a Organização Mundial da Saúde (OMS) concedeu, por este feito, o Prêmio de Saúde Pública Memorial Dr. Lee Jong-Wook à brigada médica cubana.

“A Brigada Henry Reeve é apenas parte do sistema médico cubano, coordenado pelo Ministério da Saúde Pública de Cuba, que enviou mais profissionais de saúde para trabalhar no exterior do que toda a Organização Mundial da Saúde (OMS)”, afirma a organização.


"Em meio a essa pandemia global, médicos cubanos inspiraram pessoas de todo o mundo" (Danny Glover)

Codepink ressalta que, enquanto os EUA retiram fundos da Organização Mundial da Saúde, atingindo a China e sequestrando Equipamentos de Proteção Individual (EPI) de outros países, os médicos cubanos estão lutando contra a Covid-19 em todo o mundo.

“Nesse momento em que o mundo está passando por uma pandemia devastadora, a Brigada está trabalhando globalmente para combatê-la e trazer saúde e recuperação aos pacientes afetados”.

A organização finaliza, conclamando novas razões que tornam a Brigada Médica Internacional Henry Reeve merecedora do prêmio máximo da paz no mundo.

“O mundo ficou chocado ao ver os cubanos se dirigindo à parte mais infectada da Itália, a Lombardia, para ajudar a salvar vidas. Desde 1º de maio, mais de 1.450 equipes médicas cubanas lutam contra o COVID-19 em 21 países: Angola, Antígua e Barbuda, Barbados, Belize, Cabo Verde, Dominica, Granada, Haiti, Honduras, Itália (Lombardia e Piemonte). ), Jamaica, Nicarágua, Principado de Andorra, Catar, São Cristóvão e Nevis, São Vicente e Granadinas, Santa Lúcia, África do Sul, Suriname, Togo e Venezuela”, conclui o documento.

Apoio de famosos

A lista de assinaturas liderada pela organização norte-americana já conta com adesão de famosos como o ator e diretor de cinema de Hollywood, Danny Glover, o guitarrista Tom Morello, a escritora e ativista Alice Walker e o ex-presidente do Equador, Rafael Correa.

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle