Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

  • Da Redação

Doença grave em crianças pode estar associada à Covid-19

Os 142 casos recentes no Brasil de uma doença rara, a síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica (Sim-P), estão preocupando médicos e pesquisadores, que investigam uma possível associação com a Covid-19. Até o momento, o país já registrou 9 mortes, segundo dados de secretarias estaduais de Saúde e do Ministério da Saúde. Os casos foram registrados em 15 estados e no Distrito Federal, que também têm outros 10 em observação.

Oficialmente, o ministério confirma 117 casos até dia 8 de agosto, em oito estados e no DF. A notificação, porém, não é obrigatória em nível federal, o que tem feito Secretarias Estaduais de Saúde reforçarem o monitoramento nos municípios.


Para especialistas, o total de casos da síndrome é baixo se comparado aos números da Covid-19, mas a doença chama atenção pela gravidade, por ser algo novo e pela possível subnotificação.


A situação levou a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) a fazer um alerta em maio. Diante do aumento nos relatos, um novo documento foi elaborado pelo Ministério da Saúde em 20 de julho, orientando a identificação. Os registros apontam para um quadro que começa com febre alta e contínua, com possibilidade de dor abdominal, vômito e diarreia, além de conjuntivite e aparecimento de erupções e inflamações na pele. Em nível mais grave, pode haver comprometimento de órgãos.


"A partir daí caminhamos para um quadro multissistêmico, em que há o envolvimento de muitos órgãos. Há alterações cardíacas, alterações respiratórias, no sangue, na pele, nos olhos e no sistema nervoso", explica Marco Aurélio Sáfadi, presidente do departamento de infectologia da SBP. Segundo ele, porém, a intensidade e o quadro pode variar em cada criança.


Relação com a Covid-19


Segundo especialistas e o Ministério da Saúde, a maioria das crianças diagnosticadas tem resultado negativo em testes de RT-PCR, que avaliam infecção aguda para o novo coronavírus, mas positivo em testes de anticorpos, o que levanta a hipótese de uma possível manifestação tardia dos sintomas da Sim-P.


Há também registros de casos na síndrome após os primeiros sintomas de Covid-19.


"Tal achado sustenta a hipótese de associação entre a Sim-P e a Covid-19, porém essa relação causal ainda não foi estabelecida e permanece em investigação", diz nota técnica do ministério. A pasta vem tratando o caso como uma síndrome "temporalmente" ligada ao novo coronavírus.


"Todos os indícios nos sugerem até o momento que isso esteja ligado", diz Marcelo Otsuka, coordenador do Comitê de Pediatria da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia).


Sintomas


Os sintoma da Sim-P são parecidos com o de outra síndrome: a de Kawasaki, uma doença inflamatória autoimune e rara. Segundo Otsuka, uma das diferenças é que a nova doença tem atingido crianças com média de idade de nove anos, e há casos registrados também entre crianças menores e adolescentes, enquanto a Kawasaki atinge principalmente aquelas abaixo de três anos.


"Outro ponto é que a Sim-P tem se mostrado uma doença mais grave, que pode inclusive levar à falência de órgãos", alerta. Ele diz, no entanto, ter acompanhado casos com boa recuperação até agora.


De acordo com Sáfadi, a síndrome pode ser tratável se for diagnosticada cedo.


*Com informações da Folha de S.Paulo.

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle