Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Entidades de saúde denunciam Bolsonaro em Corte Penal


O presidente Jair Bolsonaro ofereceu cloroquina para as emas em frente ao Palácio da Alvorada (Reprodução)

Entidades da área de saúde apresentaram denúncia contra o presidente Jair Bolsonaro por "prática de crime contra a Humanidade" no Tribunal Penal Internacional (TPI), com sede em Haia.

A denúncia teve como base a atuação do chefe de Estado na pandemia da Covid-19. O texto diz que "alguns governantes menosprezaram a gravidade da pandemia, dentre eles o presidente do Brasil", segundo o jornal O Globo.

A apresentação foi feita pela Rede Sindical Brasileira UNISaúde, coalizão de entidades que representa mais de um milhão de trabalhadores da saúde do Brasil.

O documento com 59 páginas afirma que a "atitude de menosprezo, descaso e negacionismo" trouxe "consequências desastrosas", "com total estrangulamento dos serviços de saúde, que se viu sem as mínimas condições de prestar assistência às populações, advindo disso, mortes sem mais controles".

'Falhas graves e mortais'

A denúncia conclui que "omissão" do governo brasileiro pode ser considerada "crime contra a humanidade" e "genocídio". O texto fala ainda em "falhas graves e mortais" na condução da resposta à epidemia no país.

Para sustentar essa tese, as entidades citam a campanha feita por Bolsonaro sobre o uso da hidroxicloroquina, medicamento que não tem eficácia comprovada no tratamento da Covid-19. Além disso, é mencionado o fato de o presidente ter promovido aglomerações, com agravante de não usar máscara.

"No entendimento da coalizão, há indícios de que Bolsonaro tenha cometido crime contra a humanidade durante sua gestão frente à pandemia, ao adotar ações negligentes e irresponsáveis, que contribuíram para as mais de 80 mil mortes pela doença no país", diz o texto.

Bolsonaro foi denunciado outras vezes

O documento também acusa o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, de ter abandonado "a defesa do distanciamento social mais rígido" e passado a recomendar o uso de hidroxicloroquina para tratamento da doença sem comprovação científica.

​Essa não é a primeira denúncia envolvendo Bolsonaro em Haia, que fica nos Países Baixos. Recentemente, ele foi acusado de risco de genocídio devido à política adotada em relação aos indígenas durante a pandemia do coronavírus. Outra, da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia, também se refere à atuação de Bolsonaro na resposta à Covid-19.

O tribunal recebe centenas de denúncias por ano e leva meses até decidir sobre a abertura de uma investigação.

Segundo boletim do Ministério da Saúde divulgado neste domingo (26), o Brasil tem 2.419.091 infectados pelo coronavírus e 87.004 mortes causadas pela Covid-19.

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle