Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

FMS diz em nota que matéria sobre ventiladores é fake news


Os 80 respiradores foram comprados por Niterói na China

A informação divulgada nesta segunda-feira pelo blog do jornalista Gilson Monteiro, de que os 80 respiradores comprados pela prefeitura de Niterói não seriam adequados para o uso em leitos de UTI, mas apenas no transporte de pacientes em ambulâncias, foi classificada em nota oficial pela Fundação Municipal de Saúde como uma "fake news".

O órgão responsável pela compra dos equipamento, junto a fornecedor da China, para equipar o Hospital Oceânico - referência no tratamento do coronavírus em Niterói -, recorreu à Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib) para atestar que os ventiladores Shangrila 510s estão indicados para as "necessidades emergenciais de terapia ventilatória mecânica invasiva e não invasiva no tratamento de pacientes críticos de Covid-19".

Citando um "respeitado médico intensivista da rede privada de saúde no município", cujo nome não foi revelado, a matéria afirma que os ventiladores chineses seriam modelos simples, pré-programados, e não estariam à altura dos modelos "convencionais para uso em UTI, [que] tem (sic) módulos ventilatoriais programáveis, com display gráfico que permite ajustar o ventilador às necessidades e peculiaridades de cada paciente".

A nota da FMS procura rebater essa afirmação ao descrever o display dos ventiladores comprados pelo município, que apresentam diversos módulos com uma vasta capacidade de controles programáveis. A nota da fundação, reproduzida a seguir apresenta uma contestação da matéria, seguida de uma nota técnica.


A nota

"A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Niterói repudia veementemente as afirmações caluniosas e mentirosas sobre os respiradores, típica de pessoas sem caráter e espalhadores de fake news, e esclarece que os equipamentos adquiridos atendem às necessidades emergenciais de terapia ventilatória mecânica invasiva e não invasiva no tratamento de pacientes críticos de Covid-19, considerando as recomendações de abordagem da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib).

A FMS destaca que os respiradores Shangrila 510s já estão sendo utilizados nas urgências e hospitais municipais e tem contribuído para salvar dezenas de vidas. A Fundação ressalta também que o custo dos ventiladores está abaixo da média do mercado nacional e internacional, pois os aparelhos foram adquiridos diretamente com o produtor, sem intermediários.

As especificações técnicas apresentaram características de um ventilador pulmonar ideal e também as especificações mínimas para o enfrentamento e suporte ventilatório de urgência em pacientes com insuficiência respiratória aguda. O ventilador Pulmonar é um dos equipamentos essenciais para a manutenção da vida nesses casos.

A FMS esclarece ainda que os ventiladores Shangrila 510s possuem Display gráfico apresentando as curvas de pressão x tempo, fluxo x tempo e volume x tempo. Além de apresentarem os seguintes módulos ventilatórios: Ventilação com Volume Controlado (VCV); Ventilação com Pressão Controlada (PCV); Ventilação Mandatória Intermitente Sincronizada (SIMV-V e SIMV-P); Ventilação espontânea (PSV) e Ventilação Não Invasiva: Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas (CPAP).

Niterói está realizando um trabalho sério e responsável desde o início da pandemia, sempre baseado na ciência e experiências internacionais. A aquisição desses respiradores, junto a todas as outras medidas adotadas, representa um importante reforço no combate ao novo coronavírus.

A FMS afirma que a calúnia não vai tirar o foco e objetivo principal do trabalho realizado que é de salvar centenas de vidas e, junto com os profissionais de saúde, se dedicar com seriedade para proteger Niterói.

Segue nota técnica sobre os ventiladores pulmonares:

O Ventilador Pulmonar é um dos equipamentos essenciais para a manutenção da vida em casos de insuficiência respiratória provocados pela Síndrome de Angústia Respiratória Grave para aqueles pacientes que evoluem para a fase II b e III (três) da Covid-19, onde é protocolo terapêutico, priorizar os pacientes que apresentam este quadro clínico a ventilação mecânica precoce, seja ela invasiva ou não invasiva e para isso, é indispensável a utilização de ventilador pulmonar, com o objetivo de socorrer os pacientes, dar suporte terapêuticos às falências respiratórias dos mesmos, estabilizar os quadro clínico e consequentemente salvar vidas, diminuindo a morbimortalidade.

Desse modo, foi necessária a aquisição de ventiladores pulmonares para munir a rede de saúde do Município de Niterói, e tendo em vista a situação atual, onde o aumento da demanda pela aquisição de ventiladores pulmonares, devido à pandemia, causada pelo Covid19 no Brasil e no Mundo, e também pela escassez da oferta, pela falta destes equipamentos em todo o território nacional, as especificações técnicas utilizadas no Termo de Referência para aquisição destes equipamentos apresentaram características de um ventilador pulmonar ideal e também as especificações mínimas para o enfrentamento e suporte ventilatório de urgência em pacientes com insuficiência respiratória aguda causada pela SARS-Cov-2, ampliando desta forma a capacidade de aquisição dos mesmos, diante a situação atual do mercado.

Portanto, a aquisição dos ventiladores mecânicos Shangrila 510s, consistiu em medida de enfrentamento à Emergência em Saúde Pública declarada no Município de Niterói pelo Decreto Nº 13.506/2020, em razão de pandemia de doença infecciosa viral respiratória – Covid-19, causada pelo agente novo coronavírus – SARS-CoV-2, para atendimento emergencial em pacientes graves com síndrome de insuficiência respiratória aguda grave causada por esse agente infeccioso.

Este equipamento atende às necessidades emergenciais de terapia ventilatória mecânica invasiva e não invasiva, no enfrentamento de pacientes críticos, considerando as recomendações de abordagem do Covid-19 da AMIB (Associação de Medicina Intensiva Brasileira).

Conforme demonstrado nas figuras abaixo, informamos ainda, que os ventiladores Shangrila 510s possuem Display gráfico apresentando as curvas de pressão x tempo, fluxo x tempo e volume x tempo. Além de apresentarem os seguintes módulos ventilatórios: Ventilação com Volume Controlado (VCV); Ventilação com Pressão Controlada (PCV); Ventilação Mandatória Intermitente Sincronizada (SIMV-V e SIMV-P); Ventilação espontânea (PSV) e Ventilação Não Invasiva: Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas (CPAP)."


MP instaura inquérito

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania do Núcleo Niterói, instaurou, nesta segunda-feira (08/06), inquérito civil para apurar a suposta incompatibilidade dos equipamentos adquiridos pela Fundação Municipal de Saúde junto à empresa China Meheco Co Ltda., para utilização em leitos clínicos ou de UTI destinados a pacientes com Covid-19. De acordo com contratos de aquisição, os ventiladores pulmonares 510S se destinam apenas a cenários de emergência, transporte de longa distância, transporte hospitalar, resgate em campo e resgate pós -desastre.

O MPRJ oficiou o presidente da Fundação Municipal de Saúde para que esclareça a alocação dos ventiladores pulmonares 510S. Requer, também, explicações técnicas e científicas acerca da utilização dos equipamentos para atendimento aos pacientes graves com Covid-19, tendo em vista que a Cláusula 1ª, §5º dos instrumentos apontam expressamente que os equipamentos contratados são para uso apenas em cenários de emergências, transportes de longa distância, transporte hospitalar, resgate em campo e resgate pós-desastre. O MPRJ concedeu prazo de 24 horas para resposta.

A Promotoria de Justiça requereu análise do Grupo de Apoio Técnico Especializado (GATE/MPRJ) para atestar se os ventiladores pulmonares atendem às necessidades de paciente internado, seja em leito clínico, seja em UTI, sendo adequado para tratamento de diagnóstico de Covid-19, bem como descreva as hipóteses de utilização do equipamento e eventuais limites de tempo para sua utilização.

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle