Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Força-tarefa do MP acompanha ações em Niterói e Maricá contra o covid-19

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) montou uma força-tarefa para atuar em Niterói, Maricá e outros municípios da região durante a pandemia do coronavírus. As 1ª e 2ª Promotorias de Justiça de Tutela Coletiva da Saúde da Região Metropolitana II e as Promotorias de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania, do Meio Ambiente e do Consumidor de Niterói e Maricá se reuniram para atuar de forma coordenada e organizada no acompanhamento das medidas que devem ser ou estão sendo tomadas para evitar a disseminação e contaminação do novo coronavírus e no tratamento dos infectados.

Esse esforço conjunto tem alcançado bons resultados, buscando uma atuação resolutiva e eficiente. “Temos conseguido resolver muitas questões de forma mais ágil. Criamos canais oficiais de comunicação com os gestores municipais e diversas autoridades, utilizando as ferramentas digitais disponíveis, obtendo as informações de maneira mais rápida. Muitas vezes a atuação célere do Ministério Público permite a adoção de providências mais fundamentadas pelos órgãos públicos”, observou Luciano Mattos, titular da Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa do Meio Ambiente e em exercício na Defesa da Cidadania.

Um exemplo dessa atuação foi a intervenção dos promotores junto à Prefeitura de Niterói para que os profissionais que trabalham na campanha de vacinação usassem máscaras de proteção. A Secretaria de Saúde acolheu a sugestão e determinou o uso dos equipamentos na campanha, apesar de as recomendações do Ministério da Saúde  não estabelecerem essa obrigatoriedade, garantindo, assim, maior segurança para a população.

A atuação conjunta também conseguiu evitar aglomerações nas carreatas convocadas nas redes sociais para os Municípios de Maricá e Niterói nos dias 28 e 29/03. As recomendações para que fossem adotadas medidas para impedir a aglomeração foram expedidas para o Comandante do 12º Batalhão da Polícia Militar, ao Comandante do 3º GBM do Corpo de Bombeiros Militar, aos Secretários Municipais de Segurança Pública e de Ordem Pública dos Municípios de Niterói e Maricá. As carreatas acabaram não sendo realizadas.

Em Itaboraí, a força-tarefa atuou para que a Justiça, diante da crise, reconsiderasse  decisão anterior e permitisse a ocupação de imóvel para a construção de um hospital municipal para pacientes da Covid-19. “Estamos empenhados na fiscalização e acompanhamento dos municípios para a adoção das medidas cabíveis para prevenir a propagação da doença e tratar os pacientes infectados. Infelizmente, ninguém estava preparado para essa pandemia tão avassaladora, e o tempo é curto e os  recursos escassos  para alguns municípios. É fundamental que a união e o estado sejam ágeis no suporte aos municípios mais carentes de recursos para a ampliação de suas estruturas de atendimento, e mais fundamental ainda que a população respeite o isolamento”, afirmou Reinaldo Lomba, Promotor da 2ª Promotoria de Saúde.

A questão da ampliação dos leitos para receber pacientes da pandemia é uma grande preocupação do grupo e vem tendo atuação destacada: “Existe um foco especial para ampliação dos leitos que irão atender os pacientes neste grave e complexo período de pandemia. Diuturnamente estamos monitorando a situação e cobrando das autoridades as providências possíveis e necessárias, inclusive apoiando a ampliação no Município de São Gonçalo, o mais populoso da região”, disse Luciana Vaz, Promotora da área de Saúde.

A força-tarefa também atua na área do consumidor. “É preciso combater as fraudes ao consumidor, que tanto prejudicam à coletividade e o combate à Covid-19, como o preço abusivo na venda de EPIs”, exemplificou o promotor de Justiça Augusto Lopes, da área do Consumidor e Cidadania.

Outras ações importantes estão sendo desenvolvidas pelas promotorias, como a apuração sobre a aglomeração no interior da estação das barcas em Niterói, a fiscalização sobre os resíduos e descartes dos hospitais, o monitoramento da rede privada de saúde, o acompanhamento da qualidade da água, a fiscalização do arrendamento de hospital por Niterói e inúmeras outras.


Fonte: Portal do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle