Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

  • Da Redação

Administrada pelo PDT, Niterói recebe críticas por deturpar Cieps

Atualizado: Mar 16

Por Ana Eliza Oliveira (colaborou Vanderlei Borges)



No início de dezembro o Ciep Anísio Teixeira estava praticamente vazio, às moscas

Há mais dúvidas que certezas sobre o bom aproveitamento do projeto instalado no falso Ciep Anísio Teixeira, no Fonseca, inaugurado em junho do ano passado pela prefeitura com o nome de Espaço Nova Geração, que deveria oferecer oficinas e atividades culturais para 800 crianças a partir de 6 anos e jovens de até 29 anos de idade. As dúvidas se referem, principalmente, se o acanhado número de alunos que a reportagem do TODA PALAVRA encontrou no local corresponde às expectativas do alto investimento do projeto, de R$ 6,5 milhões. E a certeza, a de que o desvirtuamento do projeto original de escola em tempo integral é prejudicial à valorização da Educação pública da cidade, como lamentam a ex-secretária de Educação do estado e de Niterói, Lia Faria, e o presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, deputado estadual Flavio Serafini (PSOL), ouvidos pelo TODA PALAVRA.

- É lamentável que um projeto maravilhoso como o projeto Ciep, que tinha tudo para dar certo, e a população precisava tanto, de certa forma, tenha sido abandonado e desfigurado. A Educação brasileira vive um momento muito ruim, muito negativo e de retrocesso. Já tivemos avanços muito maiores e o que estamos vivendo agora é um retrocesso, estamos andando para trás - disse a ex-secretária de Educação.

Flávio Serafini criticou o projeto, que ainda deverá ser implementado em outros Cieps revitalizados pela prefeitura. Segundo ele, dentro do estado, Niterói é a cidade com menor oferta na rede municipal, tanto no ensino fundamental quanto na educação infantil. Para o deputado, essa estrutura poderia mudar, se os Cieps estivessem funcionando conforme o modelo original, que garantiria para a população uma oferta mais ampla e educação de qualidade.

- A opção da prefeitura é uma opção lamentável que subaproveita o potencial desses Cieps para melhorar a educação de Niterói. A cidade hoje praticamente não tem educação integral e ainda tem um grande déficit na educação infantil, com muitas crianças sem acesso à pré-escola e creche. Esses Cieps, que hoje recebem projetos muito esvaziados, poderiam ajudar a reestruturar a oferta de educação, permitindo a abertura de mais vagas e novas escolas de educação integral. Infelizmente, a prefeitura mantém um olhar de uma expansão muito lenta, com muito mais propaganda do que de fato impacto real na vida das pessoas - afirmou Serafini.

O número reduzido de alunos circulando pelo o pátio, salas de aula e áreas externas chama a atenção, assim como a aparência ostensiva e moderna do prédio revitalizado e reinaugurado com opulência, em 1º de junho do ano passado, pelo prefeito Rodrigo Neves, depois de longo abandono pelo governo do estado.

O aluno Samuel Fernando, 15 anos, ouvido pelo TODA PALAVRA, disse que esperava ter refeições no local mas sequer recebeu lanche até aquele momento. “No Ciep tem um refeitório gigante, por isso, eu e meus amigos pensamos de início que teria lanches e refeições. Mas como não teve, perguntamos e fomos informados que na semana seguinte começaria a distribuição de lanches, mas até o momento não aconteceu.”


Prefeitura responde depois de dois meses


Desde o início de janeiro, o TODA PALAVRA buscou informações sobre o funcionamento do Espaço Nova Geração com a ONG Viva Rio, responsável direta pela gestão e administração do projeto, e com a assessoria de comunicação prefeitura. Em 8 de janeiro, acionou a Lei de Acesso às Informações. Somente em 5 de março - quase um mês depois do prazo dado no portal Fala.BR – Plataforma Integrada de Ouvidoria e Acesso à Informação para atender às solicitações do jornal -, obteve respostas da prefeitura para os questionamentos.

Questionada sobre o número de pessoas atendidas, a prefeitura afirma que existem 650 alunos matriculados no Ciep Anísio Teixeira. A informação, porém, contrasta com as imagens feitas no início de dezembro de 2019 - portanto, seis meses após a inauguração - pela reportagem do TODA PALAVRA. As fotos, publicadas na edição de dezembro do jornal, denunciavam a ausência de alunos e funcionários circulando pelo local. Também foi informado que o Ciep Ester Botelho - ainda não visitado pelo jornal -, no Cantagalo, possui 540 alunos matriculados.

Segundo o município, entre os cursos disponíveis aos participantes do projeto, na área de esportes, estão incluídos futsal, handebol, vôlei, basquete, alongamento e treinamento funcional, inserindo lutas também como, capoeira, jiu-jitsu, muay-thai e judô. No segmento de cultura e lazer, há aulas de balé, danças urbanas, percussão e teatro. Ainda de acordo com a Prefeitura, há atividades que funcionam como complementação escolar, como aulas multipedagógicas, oficinas de leitura e consciência corporal para crianças, além de artes, trabalhos manuais e informática. A prefeitura destaca que tanto a unidade Ester Botelho quanto a Anísio Teixeira dispõe de espaços voltados à tecnologia, um laboratório para organização de competências técnicas e uma sala de inovação tecnológica, com todo o suporte e os recursos atuais avançados. Fazem parte ainda da lista de atividades disponíveis, os cursos de capacitação profissional e projetos de empreendedorismo.

Ainda em resposta às solicitações do TODA PALAVRA, foi informado que o projeto conta com 30 funcionários, além do auxílio de uma equipe técnica multidisciplinar, psicólogos, assistentes sociais, assistentes pedagógicos, e funcionários responsáveis pelo quadro administrativo, estagiários e merendeiras.

Em relação à alimentação distribuída no Ciep Anísio Teixeira, de acordo com a Prefeitura, todos os alunos recebem um lanche balanceado, no qual afirma ser um complemento à alimentação principal que é servida em outras instituições escolares durante os turnos.

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso