Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Pesquisas mostram que população sofre com a crise, mas apoia quarentena


O levantamento da Paraná Pesquisas mostra o forte impacto econômico sobre a população

sofrendo as consequências da grave crise econômica provocada pelo afastamento social, como única forma existente para reduzir o número de mortes causadas pela pandemia do covid-19, a esmagadora maioria da população brasileira apoia as medidas de quarentena e até defende a adoção de medidas punitivas para quem desrespeitar as determinações das autoridades sanitárias, ao passo que também reconhecem o impacto econômico provocado pela crise. É o que revelam duas pesquisas: uma do instituto Paraná Pesquisas, divulgada nesta segunda-feira (21), sobre o aspecto econômico, e outra do Datafolha, publicada também nesta segunda-feira pelo jornal Folha de São Paulo, sobre o apoio da população ao isolamento social.

Com mais de 40 mil casos de Covid-19 e 2,5 mil mortes registradas até esta segunda-feira, e apesar dos prejuízos econômicos, quase 80% da população é favorável a medidas punitivas para quem descumprir o isolamento social, segundo a pesquisa do Datafolha. Apenas 18% acham que o governo não deve controlar a circulação de pessoas. A nova pesquisa mostra também que a adesão ao isolamento permanece estável em relação ao último levantamento do Datafolha, no início de abril, quando 4% dos entrevistados disseram que mantinham a rotina de antes da pandemia. Já o número de pessoas que ainda saem apenas para trabalhar aumentou de 24% para 26%.

O Datafolha ouviu 1.606 pessoas na última sexta-feira (17) pelo telefone, respeitando as medidas de isolamento social. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos. Entre as que defendem algum tipo de punição, 33% foram favoráveis a multas e 43% defenderam advertências verbais.

Na outra pesquisa divulgada nesta segunda-feira (20) pelo Instituto Paraná Pesquisa, para saber sobre o impacto financeiro provocado pela crise do coronavírus, 81,9% da população responderam que impactou sim, e apenas 16,2% disseram que não. Para 33%, impactou muito e para 29,4%, o impacto foi pouco. E 19,5% disseram que o impacto foi o normal de uma crise. Ainda de acordo com o levantamento, o impacto financeiro foi maior entre o público de 25 anos a 44 anos: acima de 85%.

O instituto apurou também como as pessoas vêm reagindo psicologicamente durante este período de isolamento. Do total, 39,3% disseram sentir crises de ansiedade, depressão ou outro problema psicológico. Já 57,1% responderam que não.

A pesquisa foi feita entre 13 e 16 de abril com 2.218 pessoas, através de questionários online. O grau de confiança é de 95% ara uma margem estimada de erro de 2% para os resultados gerais.

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle