Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Yanomami: Justiça ordena que governo apresente plano


A Justiça deu ao governo brasileiro um prazo de 15 dias para implementar um plano de proteção eficaz para os povos yanomami, expostos à Covid-19, em função das invasões contínuas em suas terras, principalmente por garimpeiros.

Em um comunicado, o Ministério Público informou que o Tribunal Regional Federal da 1ª Região atendeu a seu pedido e determinou "a adoção imediata de um plano de emergência para conter o avanço da doença nas terras indígenas yanomami, que inclui, entre outros pontos, a luta contra o garimpo ilegal, com a expulsão dos agressores da terra indígena".

O plano do governo federal e seu cronograma devem ser apresentados pelos órgãos públicos competentes em cinco dias e executados em dez dias, garantindo sua aplicação durante todo o período da pandemia, de acordo com a decisão judicial.

A terra indígena yanomami é a maior do Brasil: existem mais de 9,6 milhões de hectares entre os estados de Roraima e Amazonas, na fronteira com a Venezuela, onde vivem cerca de 26.780 indígenas e onde pode haver até 20 mil garimpeiros.

A decisão judicial exige um efetivo monitoramento territorial da terra indígena yanomami para combater crimes ambientais e a retirada dos garimpeiros da região, "que tem sido o principal vetor para a disseminação da doença".

O Estado brasileiro também é obrigado a garantir tropas suficientes para essas obras de vigilância, fornecer alimentos e equipamentos de proteção e enviar relatórios quinzenais que demonstrem conformidade com essas determinações.

Membro da equipe médica das Forças Armadas brasileiras examina um índio yanomami, em meio à disseminação da doença por coronavírus, em Alto Alegre, Roraima, Brasil, 1º de julho de 2020

O juiz Aram Megueriam reconheceu que as autoridades já tomaram algumas medidas, mas declarou que estas se mostraram insuficientes e criticou que as terras yanomami não foram incluídas como um objetivo prioritário no planejamento anual do Grupo de Combate ao Desmatamento na Amazônia em 2020, de autoria do governo federal.

O Ministério Público observou que os yanomami são vítimas da omissão do Estado na contenção dos garimpeiros desde a década de 1970.

Em 1985, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos já recomendou ao Estado brasileiro a adoção de "medidas sanitárias preventivas e curativas para proteger a vida e a saúde dos povos indígenas expostos à contração de doenças infecciosas".

No entanto, lembra o Ministério Público, 35 anos depois, o Estado brasileiro não conseguiu instalar e operar continuamente uma rede de proteção territorial que inibe as ações dos garimpeiros.


Fonte: Sputnik Brasil

Os anunciantes pagam ao jornal por cada clique dos leitores. Clicando em nossos anúncios você ajuda a manter o TODA PALAVRA sem pagar nada por isso

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle