728x90_2.gif

100 mil policiais para impedir festas de Réveillon. Na França


(Foto: Oxana Bobrovitch/Sputnik)

O ministro do interior Gérald Darmanin anunciou que 100 mil policiais serão mobilizados a partir de hoje (30) para garantir a aplicação do toque de recolher, das 20h às 6h, em vigor em toda a França desde 15 de dezembro.

A França anunciou nesta quarta-feira (30) algumas medidas para evitar a realização de festas e aglomerações urbanas que possam acontecer no Réveillon deste ano. A polícia também poderá intervir em festas clandestinas e multar participantes e organizadores. As informações foram confirmadas pela Rádio França Internacional.

Com as medidas, a polícia também poderia intervir em reuniões privadas em casas e apartamentos, caso receba denúncias de vizinhos. Ainda que o governo não possa proibir celebrações em lugares privados, recomenda-se que o número de convidados não ultrapasse seis. Um decreto de 29 de outubro deste ano estabelece que a distância física de pelo menos um metro entre duas pessoas deve ser respeitada em todos os lugares e circunstâncias.

O governo francês também anunciou a ampliação do toque de recolher noturno nas regiões francesas mais atingidas pela pandemia.

A ação do governo da França será concentrada no centro das principais cidades e em bairros e zonas consideradas mais boêmias, que estão sujeitas "a estes tipos de fenômenos", escreve Darmanin em comunicado aos superintendentes da polícia. Também foram criadas portarias para proibir a venda de combustíveis e de álcool, assim como operações de controle junto aos revendedores de fogos de artifício.

O Ministério do Interior também estuda a possibilidade de fechar todos ou parte dos transportes públicos a partir das 20h no dia 31 de dezembro. Apesar da forte vigilância, os franceses parecem dispostos a festejar o fim de 2020. Já circulam na internet convites para festas clandestinas de Ano Novo, onde os organizadores informam como as pessoas devem agir em caso de intervenção policial.


Fonte: Agência Sputnik



1/3