728x90_2.gif

Karoon volta à carga


A Karoon Gas Australia Limited comunicou em nota, através de sua asssessoria, que pretende insistir na compra dos campos petrolíferos de Baúna e Tartaruga Verde, nas bacias de Santos e de Campos, que serão novamente colocados à venda junto com outros ativos, dentro do projeto de desinvestimento de US$ 21 bilhões anunciado pela Petrobras. Eles já haviam sido adquiridos pela petrolífera australiana, mas o negócio teve de ser suspenso por decisão da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, em ação movida pelo Sindpetro Sergipe e Alagoas, por falta de licitação.

A Petrobras anunciou a revisão de seus procedimentos, com base em resolução do Tribunal de Contas da União, o que levou a Karoon a lamentar por não poder mais adquirir os campos em “negociações exclusivas”. Mesmo assim, a empresa declarou que “permanece engajada com potenciais parceiros interessados e está comprometida com qualquer processo futuro no que se refere a esses ativos”.

Sem dizer quais seriam os seus “potenciais parceiros”, a Karoon também não explicou como uma empresa, cujo capital social é de US$ 450 milhões, pretende integralizar a soma de US$ 1,6 bilhões do negócio. Na proposta feita à Petrobras no ano passado, a Karoon havia apresentado como parceira a Woodside Energy, maior petrolífera da Austrália, que, no entanto, negou a sua participação logo após anunciada a venda.

Questionada pelo TODA PALAVRA, a assessoria de imprensa da Karoon não esclareceu os fatos relacionados à retirada da Woodside do negócio e nem como pretendia pagar à Petrobras pelos ativos, já que seu capital próprio equivale a menos de um terço do volar negociado. Com base no preço atual de US$ 56 por barril de petróleo, apenas o campo de Baúna, que produzia 47 mil barris de óleo em agosto do ano passado, pagaria a transação em menos de dois anos.

Entenda o caso

Para uma maior compreensão dos fatos, leia as matérias anteriores publicadas com exclusividade pelo TODA PALAVRA:

Petrobras encobre nova fraude

Karoon só tinha US$ 345 milhões

#Petrobras #Karoon #CampodeBaúna #CampodeTartarugaVerde