728x90_2.gif

TransOceânica sob suspeita


O vereador Bruno Lessa (PSDB) quer rigor na apuração do aumento dos custos em 24% das obras da TransOceânica, conforme denúncia do jornal O Globo, especialmente pelo envolvimento, na obra, da UTC, empresa investigada na Operação Lava-Jato. "Essas empresas são acusadas, entre outras coisas, de formação de cartel. O presidente de uma delas (Ricardo Pessoa, do grupo UTC, do qual faz parte a Constran) foi preso. Grande parte da corrupção descoberta estava justamente na concessão de aditivos", disse o vereador. A matéria do jornal informa que a Transoceânica foi orçada em R$ 310,9 milhões em setembro de 2014, quando começou. Dois anos e meio — e sete reajustes — depois, o projeto, prometido para ser entregue até o fim do ano passado, custa hoje bem mais: R$ 384,8 milhões. E a conta ainda vai aumentar, pois o contrato firmado com o Consórcio Transoceânico inclui apenas duas das 13 estações de embarque previstas para o corredor BHS. Para construí-las, a prefeitura deve aplicar cerca de R$ 36 milhões, oriundos do empréstimo com a Cooperação Andina de Fomento (CAF). O valor final da obra pode passar de R$ 420 milhões.

#Transoceânica #Niterói #UTC #LavaJato #superfaturamento

1/3