Lago e Montanhas

Lago e Montanhas

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Cabanas na Praia

Cabanas na Praia

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Roda Gigante

Roda Gigante

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Palmeiras

Palmeiras

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Pela Cidade de Bicicleta

Pela Cidade de Bicicleta

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Maia manobra contra Diretas Já

 

A oposição considerou a convocação da ordem do dia da Câmara dos Deputados, ontem (23), como uma manobra do Governo para impedir a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 227, conhecida como PEC das Eleições Diretas. A sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que votaria a admissibilidade da proposta foi adiada para esta quarta-feira (24).

 

A discussão que ocorria na CCJ foi cancelada após o presidente da Casa, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), começar as votações do Plenário com 53 deputados.

 

De autoria de Miro Teixeira (Rede-RJ), a PEC 227 estabelece eleições diretas em caso de vacância da Presidência da República. Maia começou a ordem do dia do Plenário após os membros da CCJ rejeitarem um requerimento para impedir a votação da proposta. De acordo com o regimento da Câmara, a abertura da sessão suspende o andamento de outras comissões.

 

Já no início da tarde, a base do governo tentou obstruir a votação com esvaziamento da sessão, que começou uma hora após o previsto. Depois, os deputados José Carlos Aleluia (DEM-BA), Hildo Rocha (PMDB-MA) e Vitor Valim (PMDB-CE) pediram a inversão de pauta da CCJ.

 

O deputado federal Alessandro Molon (Rede-RJ) afirmou que “não há menor dúvida" que Maia iniciou os trabalhos para impedir que a CCJ aprovasse a tramitação da proposta. "Um governo que precisa fazer obstrução para não ser derrotado na principal comissão da Casa é um governo que já acabou”, sustentou o deputado.

 

Ele argumenta que a PEC 227 vai adequar a legislação federal e devolver "o direito de voto ao povo". A deputada Maria do Rosário (PT-RS) também considerou como "manobra" o início da sessão ordinária da Câmara dos Deputados.

 

Contexto

 

A discussão da PEC das Eleições Diretas ganhou força e apoio popular com a divulgação do áudio gravado pelo empresário Joesley Batista, envolvendo os empresários da JBS e o presidente golpista Michel Temer (PMDB). Desde então, a Câmara dos Deputados recebeu pelo menos 13 pedidos de abertura de impeachment contra Temer, um deles assinado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

 

A base do governo afirma que a proposta seria inconstitucional. O deputado Paulo Henrique Lustosa (PP-CE) disse que a PEC é votada em momento de "casuísmo" e deveria ser tratada em uma situação de “calmaria”.

 

Parlamentares da oposição pedem a renúncia do presidente golpista e que haja eleições diretas. Atualmente, o texto constitucional prevê votação indireta, caso o cargo de presidente fique vago, seja por motivo da vacância do poder, renúncia ou impeachment, nos dois últimos anos depois da eleição. Nesse caso, a escolha do novo chefe do executivo ficaria por conta dos deputados e senadores.

 

No entanto, o relator da proposta, Esperidião Amin (PP-SC), disse que o andamento da PEC ocorre desde o ano passado e, por isso, não configura oportunismo. O mesmo afirma o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ):  "Quem diz que voto soberano do povo é casuísmo está inoculado com o verme do autoritarismo", disse.

 

O presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), agendou outra reunião para às 10h desta quarta-feira (24), mesma data em que ocorrem os atos de movimentos populares e centrais sindicais, o Ocupa Brasília — que pede a saída de Temer e convocação de novas eleições diretas para 2017.

 

Foto: manifestante pede Diretas Já em Belo Horizonte - Brunos Campos/Mídia Ninja

Please reload

Lago e Montanhas

Lago e Montanhas

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Cabanas na Praia

Cabanas na Praia

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Roda Gigante

Roda Gigante

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Palmeiras

Palmeiras

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Pela Cidade de Bicicleta

Pela Cidade de Bicicleta

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Leia também:
Please reload

Lago e Montanhas

Lago e Montanhas

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Cabanas na Praia

Cabanas na Praia

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Roda Gigante

Roda Gigante

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Palmeiras

Palmeiras

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Pela Cidade de Bicicleta

Pela Cidade de Bicicleta

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle