Lago e Montanhas

Lago e Montanhas

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Cabanas na Praia

Cabanas na Praia

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Roda Gigante

Roda Gigante

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Palmeiras

Palmeiras

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Pela Cidade de Bicicleta

Pela Cidade de Bicicleta

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Niterói lidera ranking em gestão

August 11, 2017

Niterói é a cidade do Estado do Rio de Janeiro que realiza a melhor gestão de suas finanças. A informação é da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), que divulgou, nesta quinta-feira (10/08), o Índice Firjan de Boa Gestão Fiscal (IFGF), levantamento feito com dados da Secretaria do Tesouro Nacional. O município foi o único do estado a alcançar a excelência na gestão de suas contas públicas em 2016, e também conquistou o sexto lugar no ranking nacional.

De acordo com a nova edição do levantamento, que analisou as contas de 4.544 prefeituras – 81,6% das cidades do país –, 2016 foi o ano em que mais prefeituras apresentaram gestão fiscal difícil ou crítica, desde o início da série histórica, em 2006. Além de Niterói, apenas outras 12 cidades atingiram o conceito máximo e nenhuma delas é capital.

“Nós decidimos encarar a crise que vivíamos em 2013 como uma oportunidade. Fizemos uma gestão técnica e responsável, investindo em modernização, cortando gastos desnecessários e priorizando o essencial. Graças a uma política equilibrada, temos muito orgulho de honrar nossos compromissos, pagando salários e fornecedores em dia. Os serviços são executados normalmente e ainda estamos tirando obras importantes do papel, como a TransOceânica e o túnel Charitas-Cafubá, além de municipalizar e reabrir equipamentos do estado que estavam fechados, como o Restaurante Popular e a Biblioteca Parque”, ressalta o prefeito Rodrigo Neves.

O excelente desempenho de Niterói foi puxado principalmente pelos indicadores Receita Própria e Investimentos, que receberam a nota mais alta. Gastos com Pessoal, Liquidez e Custo da Dívida receberam nota B. A escala da Firjan vai de A a D.

A secretária municipal de Planejamento, Modernização da Gestão e Controle, Giovanna Victer, destaca que o resultado de Niterói na gestão fiscal não é fruto de ações pontuais adotadas em 2016, mas resultado de um conjunto amplo de medidas implantadas desde 2013. Ela lembra que a cidade estava fragilizada, com dívidas, salários atrasados e até mesmo no Cadastro Único de Convênios (CAUC), o "Serasa" das prefeituras, o que impedia que o município recebesse recursos federais e de agências internacionais.

Através de um amplo planejamento, foram aplicadas ações para a redução de despesas, modernização, aumento da transparência na aplicação dos recursos, realização de parcerias público-privadas (PPPs) e reformas para otimizar a administração pública de Niterói, melhorando o gasto público sem aumentar impostos.

Além do pagamento dos salários em dia, a administração está realizando investimentos importantes, como a construção e reforma de 22 escolas, a reforma e ampliação do Hospital pediátrico Getulinho e a TransOceânica, a maior obra de mobilidade urbana da história da cidade.

“A gestão fiscal não representa um fim em si mesma no planejamento dos municípios, mas um instrumento para garantir investimentos e o bem-estar dos seus cidadãos. Além da estruturação das receitas, o controle do custeio e da folha de pagamentos foi fundamental para esse resultado”, explica a secretária.

O resultado deste planejamento e a gestão responsável do município também asseguraram à Prefeitura de Niterói a possibilidade de antecipar a primeira parcela do 13º salário de 2017 para julho, municipalizar equipamentos do Estado para garantir seu funcionamento, além da realização de grandes investimentos e o pagamento em dia das contas do Município.

“A cidade se destacou por ter disciplina financeira, maior planejamento das contas públicas, o que aumentou nossa capacidade de investimento. Para manter a continuidade da prestação de serviços públicos básicos, como saúde, educação, saneamento básico e até manter a própria atividade da administração municipal, foi imprescindível que adotássemos um conjunto de medidas políticas, organizacionais e administrativas para melhorar a arrecadação das receitas próprias, principalmente do IPTU e do ISS. Assim, buscamos localmente os recursos que necessitamos e, desta forma, reduzimos a dependência do governo local por transferências intergovernamentais”, ressalta o secretário municipal de Fazenda, Pablo Villarim.
 

Série histórica – A boa colocação de Niterói no ranking revela uma melhora progressiva. No primeiro IFGF, que analisou as contas de 2005, a cidade ficou em 23º lugar no estado e em 657º no país. Em 2012, a cidade estava em 55º no estado e 2.188º no país. Desde que a atual administração da Prefeitura assumiu, a cidade pulou da 46ª posição no estado e 1.719ª no país, em 2013, para a 7ª e 84ª em 2014, 2ª e 45ª em 2015 e agora o 1º lugar no estado e 6º país em 2016.

Planejamento garantiu bons resultados

Entre as ações de gestão, a Prefeitura criou o Portal de Transparência, plataforma destinada à consulta das despesas, receitas e instrumentos públicos de planejamento (PPA, LDO e LOA) e relatórios de gestão, entre outros. Também foi implantada a Lei de Acesso à Informação (LAI), que dá o direito de qualquer pessoa solicitar e receber dos órgãos e entidades públicos, de todos os entes e poderes, informações públicas por eles produzidas ou custodiadas. Niterói instituiu, ainda, o Código de Ética de Servidores e Dirigentes Municipais.

Resiliência – Antecipando-se aos efeitos da crise econômica que se abateu no país, sobretudo no Estado do Rio de Janeiro, o prefeito Rodrigo Neves lançou, no final de 2016, o “Plano Niterói Mais Resiliente”, com 47 medidas de modernização da gestão municipal e de controle e ajuste fiscal. O plano tem como metas promover uma economia estimada em R$ 158 milhões e aumentar a arrecadação apenas com medidas de eficiência, sem aumentar impostos ou cortar em programas sociais.

Modernização da gestão – A implantação do sistema e-Cidade, software que centraliza as informações sobre os processos municipais, garantiu a segurança dos dados, mais transparência e melhoria na gestão fiscal. O programa substituiu 46 sistemas de protocolos, 11 de folha de pagamento e 10 sistemas contábeis diferentes, permitindo uma maior facilidade de consulta às informações de processos administrativos da Prefeitura.

Redução de gastos – Os secretários e presidentes de empresas municipais se comprometeram a reduzir despesas e a promover melhorias nos gastos públicos e na gestão. Com este pacto de gestão fiscal, a previsão é de economia de R$ 31 milhões por ano. Entre as medidas que estão sendo implantadas, é possível destacar a renegociação de contratos com fornecedores e prestadores de serviço da Prefeitura e a redução de custos com viagens e combustível. O objetivo é deixar as contas públicas municipais equilibradas, sem interromper os investimentos na cidade ou prejudicar a qualidade do serviço público.

Aumento na arrecadação do ICMS – Niterói conseguiu aumentar seu Índice de Participação dos Municípios (IPM) sobre o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em 35,4% em 2016, na comparação com 2015, mesmo com a crise que atinge o estado. Uma equipe da Secretaria de Fazenda está trabalhando em conjunto com uma consultoria especializada para acompanhar os relatórios emitidos por empresas da cidade, encontrando inconsistências e as intimando a retificar os erros apurados.

 

Please reload

Lago e Montanhas

Lago e Montanhas

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Cabanas na Praia

Cabanas na Praia

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Roda Gigante

Roda Gigante

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Palmeiras

Palmeiras

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Pela Cidade de Bicicleta

Pela Cidade de Bicicleta

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Leia também:
Please reload

Lago e Montanhas

Lago e Montanhas

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Cabanas na Praia

Cabanas na Praia

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Roda Gigante

Roda Gigante

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Palmeiras

Palmeiras

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Pela Cidade de Bicicleta

Pela Cidade de Bicicleta

Espaço reservado para anúncios nas editorias

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle