Participação do Brasil nas copas é tema de exposição na SFF


As campanhas vitoriosas da seleção brasileira nas copas de 58, 62, 70, 94 e 2002 e as decepções nas competições de 98 e 2014 são o tema central da exposição fotográfica “Brasil Pentacampeão – Um olhar pelas copas do mundo”, que a Sociedade Fluminense de Fotografia (SFF) abre no dia 7 de junho, às 19 horas na Galeria Jayme Moreira de Luna. A coletânea faz parte do acervo da Arfoc (Associação Profissional de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Rio de Janeiro), com curadoria do repórter-fotográfico Alcyr Cavalcanti.

Entre as 36 fotografias que estarão em exposição, chama a atenção uma feita em 1958 em que Pelé, então com 17 anos, olha fascinado para taça Jules Rimet, recém conquistada e outras duas antológicas. Uma do repórter-fotográfico Alberto Ferreira, onde Pelé é flagrado dando uma bicicleta em pleno Maracanã em um amistoso contra a Bélgica, em 1965 e outra de Orlando Abrunhosa em que Pelé, Tostão e Jairzinho comemoram um gol na Copa de 70. “São fotografias de uma época em que os fotógrafos iam para o estádio com quilos de equipamentos, poucos recursos e com muita técnica e perícia em busca da fotografia perfeita, como é o caso da icônica foto de Alberto Ferreira, um clássico do fotojornalismo esportivo. Tudo muito diferente da época atual onde o fotógrafo, que também tem que ser cada vez mais talentoso, conta com um arsenal tecnológico”, descreve Alcyr Cavalcanti.

A exposição também conta com imagens tristes como o fatídico 7 a 1 da Copa de 2014, no Mineirão onde o Brasil foi humilhado pelos alemães e a campanha da França, em 98, onde a seleção atônita foi derrotada pela equipe da casa. “O futebol é uma paixão mundial e essa paixão é exacerbada no Brasil. Uma equipe de futebol é capaz de suspender uma guerra, como já aconteceu na América Central e no Oriente Médio. O sofrimento do povo nas ruas após uma eliminação e o choro de jogadores após uma partida também estão nessa coletânea que estamos trazendo para a SFF, para que o público possa ver com calma, cada detalhe de uma cobertura de um campeonato mundial ao longo de 60 anos”, explica Alcyr.

Para Antônio Machado, presidente da SFF, a exposição além de ser uma forma da entidade comemorar o início de mais uma Copa do Mundo de Futebol, serve para que profissionais e estudantes da arte fotográfica possam refletir a evolução do trabalho fotográfico ao longo dos anos. “Geralmente, em eventos Copa do Mundo e Olimpíadas, a indústria da fotografia lança novos equipamentos e recursos. É importante ver essa mostra também com esse olhar. Até antes da era digital, o fotógrafo tinha que ir para o campo com quilos de equipamentos, fotografar, revelar e transmitir por telefone a imagem em preto e branco que no dia seguinte seria estampada em jornais do mundo inteiro. Depois veio a técnica da fotografia colorida em cromo, que também obrigava o profissional a cumprir uma série de etapas. Depois o filme de 36 mm e por fim a era digital, que trouxe velocidade e “queimou” etapas de todo esse processo”, explica ele.

#SociedadeFluminensedeFotografia #Brasil #CopadoMundo

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif