3 capitais cancelam desfiles de carnaval. Rio prevê 'muita dificuldade'


(Foto: Alexandre Macieira/Riotur)

Pelo menos três capitais brasileiras confirmaram nesta segunda-feira (3) o cancelamento da realização do Carnaval 2022 devido à alta da variante ômicron nos estados. Além das prefeituras de Salvador e Belo Horizonte, que se encontram impactadas também pela tragédia das chuvas em seus estados, Fortaleza também cancelou o evento. Segundo informação do Globo, até o momento, apenas São Paulo informa que manterá os desfiles e blocos de rua, mas a prefeitura condiciona a realização ao cenário epidemiológico da cidade em fevereiro. No Rio, o prefeito Eduardo Paes disse que é "muito difícil" ter blocos nas ruas, mas ainda não confirmou nem cancelou o Carnaval na cidade.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), oficializou em 23 de dezembro o cancelamento do carnaval em todo o estado, justificando que a decisão se deve aos "2,4 milhões de baianos com a vacina contra a covid em atraso", e à epidemia de gripe que tem sobrecarregado o sistema de saúde, acrescido da tragédia das chuvas que já provocaram 26 mortes, além de 518 pessoas feridas e 93.646 desabrigados ou desalojados até esta segunda-feira.

De acordo com o Globo, além das cidades, artistas e blocos também estão cancelando suas programações para fevereiro. Em São Paulo, 64 atrações de rua foram canceladas, entre elas estão as das cantoras Daniela Mercury (Pipoca da Rainha) e Gloria Groove (Bloco das Gloriosas), a produtora de funk Kondzilla (Bloco do Kondzilla) e o ator e cantor Tiago Abravanel (Bloco do Abrava).

Nesta segunda-feira, um adolescente de 16 anos, morador do Rio, citado pelo portal G1, testou positivo tanto para covid-19 quanto para a gripe Influenza - o que tem sido chamado de "flurona".

Em sua conta no Twitter, também nesta segunda-feira, o prefeito Eduardo Paes compartilhou reportagem otimista do portal Mail Online News que destaca que "o chefe de saúde da Dinamarca disse que a Omicron está provocando o FIM da pandemia e "teremos nossas vidas normais de volta em dois meses".

Um levantamento feito pelo Instituto Todos pela Saúde (ITpS) mostrou que a variante ômicron chegou a atingir quase 70% dos casos positivos no dia 25 de dezembro, sendo encontrada em oito estados brasileiros.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif