top of page

'A Nossa Saúde': qualidade de vida dos idosos é o tema da semana

O Brasil é um país de idosos. O país tem hoje mais de 28 milhões de pessoas com mais de 70 anos. Isso significa que o brasileiro está vivendo mais, e que a expectativa de vida também aumentou. Isso se torna um grande desafio para governos e sociedade, especialmente quando se trata de saúde. Ese foi o tema do programa 'A Nossa Saúde' desta terça-feira (22/11), com a convidada da semana, a médica geriatra e cardiologista Fátima Fernandes Christo, coordenadora do Point do Idoso, em Niterói.

Reprodução / Redes Sociais

Na abertura, o apresentador Mauro Romero, médico e professor da UFF, falou sobre as limitações impostas aos idosos, muitas vezes pela própria sociedade, ainda levando em conta a ideia de séculos passados, de que na terceira idade o indivíduo se torna incapaz. Ele citou o exemplo dos servidores públicos federais, que se aposentam compulsoriamente aos 75 anos.


"Por que um homem pode ser senador ou presidente da república com essa idade, e não pode ser professor ou trabalhar no serviço público?", indaga, acrescentando que, com a expectativa de vida aumentando, é preciso pensar que a pessoa que hoje tem 60 anos está muito mais ativa do que em meados do século XX, quando a velhice chegava 'mais cedo'.


"Em 1950, a expectativa de vida era de 50 anos. A Europa demorou 500 anos para envelhecer. Mas no Brasil isso ocorreu de forma muito rápida. Em 70 anos a população mais velha saiu do 'topo da pirâmide', cujo formato hoje é de um 'barril'. Os outros países tiveram muito tempo para se adaptar, o que é um grande desafio. Mas no Brasil, nós tivemos pouco tempo para pensar em acessibilidade, políticas públicas e de saúde para o idoso", observou Fátima Fernandes Christo.


Sobre a questão da acessibilidade, ela conta que muitos arquitetos hoje em dia já levam em conta a presença de idosos nas famílias na hora de criar um projeto de moradia. E citou o arquiteto Jorge Costa, da Uerj, que promoveu um congresso recentemente sobre 'residências seguras para idosos'.


"Quando vai ter um filho, o casal planeja mudanças na casa toda, cobre tomadas, protege as quinas, bota tela nas janelas. Mas quando se trata do idoso, ninguém pensa se tem móveis demais, escadas, degraus, quinas, portas estreitas e banheiros sem barras de apoio", comentou Mauro Romero.


Entre os cuidados principais na saúde dos idosos, Fátima destaca o check up (avaliação médica) anual, a prática de exercícios sob supervisão médica, entre eles a caminhada, e beber muita água, pois os mais velhos desidratam com muita facilidade. A geriatria, de acordo com Fátima, deve ser uma especialidade médica transversal a todas as outras.


"Há 40 anos, tive um professor japonês que falava em 'pediatria geriátrica'. Investir na saúde das crianças de forma preventiva e criar hábitos saudáveis para que se tornem adultos e velhos com qualidade de vida", relata.


Segundo ela, não existe uma fómula para a longevidade. Chegar à idade mais avançada e com boa saúde física, emocional e mental depende de uma série de fatores, além da genética. O mau uso da "máquina", ou seja, do corpo, é determinante para uma velhice plena.


"Se o paciente bebe, fuma, não pratica exercícios, ou seja, cuida mal do corpo, vai colher os resultados depois. As pessoas investem na bolsa, na poupança, cuidam do cachorro, mas não investem em saúde preventiva. O brasileiro prioriza a saúde curativa. Só procura um médico depois que está doente. É uma questão cultural que precisa mudar, principalmente em uma sociedade que tem muitos idosos", afirma.


Outra questão apontada por ela é a depressão, a doença mental que mais acomete a faixa da terceira idade.


"Mais de 50% dos meus pacientes têm depressão. A depressão leve é de mais difícil diagnóstico, porque está muito perto na normalidade. É diferente daquela em que o paciente se nega a viver, passa o dia deitado, sem reagir, que é mais fácil de notar. Muitas vezes, sentem dores, falta de apetite e ninguém na família percebe que tudo isso é fruto de problema emocional", ressalta.


A geriatra também falou sobre o 'Point do Idoso', um espaço coordenado por ela em Icaraí - bairro de Niterói que concentra o maior número de pessoas na terceira idade - e que reúne especialistas de diferentes áreas, com consultas médicas, atividades sociais e cultuais especialmente pensadas para esse público. Na agenda tem passeios, palestras e até um baile mensal no Clube Central de Icaraí. O próximo acontece no dia 8 de dezembro, a partir das 14h, e o ingresso custa R$25.


Para marcar consultas ou participar das atividades, basta ligar para (21)98872-0642 ou acessar o site.


Sobre o programa:


O programa 'A Nossa Saúde', na Rádio Toda Palavra, aborda questões relacionadas à qualidade de vida, medicina e bem-estar, sempre trazendo ao debate os

temas da atualidade.


Apresentado por Mauro Romero Leal Passos, médico especialista em DST/IST e professor titular chefe do Setor de DST da Universidade Federal Fluminense

(UFF), o programa possui um quadro de entrevistas e um espaço para esclarecer dúvidas dos ouvintes sobre o tema.


A atração é transmitida às terças-feiras, ao meio-dia, na faixa FM 98.5 (Zona Norte de Niterói e áreas adjacentes) e no site.


300x250px.gif