728x90_2.gif

ABI dá apoio a jornalista após ataque de advogado de Bolsonaro


Frederick Wassef atacou a jornalista Juliana dal Piva, após revelações sobre rachadinha de Bolsonaro (Reprodução)

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) se manifestou em solidariedade à colunista do UOL Juliana dal Piva após ela ter recebido ataque do advogado do presidente Jair Bolsonaro, Frederick Wassef, nesta sexta-feira (9). No comunicado, a ABI se colocou à disposição "para a adoção de medidas que se fizerem necessárias à sua proteção". Além da ABI, outras entidades da classe e a OAB também se manifestaram.

A jornalista tem revelado áudios que mostram conexões diretas do presidente Bolsonaro com a prática de rachadinha, um esquema de entrega de salários de seus ex-funcionários, enquanto este foi deputado federal.

A mensagem foi enviada a Dal Piva no dia em que estreou o último episódio do podcast UOL Investiga - "A vida secreta de Jair", apresentado pela colunista.

Trecho da mensagem do advogado do presidente diz: "Faça lá o que você faz aqui no seu trabalho, para ver o que o maravilhoso sistema político que você tanto ama faria com você. Lá na China você desapareceria e não iriam nem encontrar o seu corpo".

Em sua conta no Twitter, Dal Piva afirmou que tomará "as medidas cabíveis com relação à mensagem enviada por Wassef". "Aos amigos, aviso que estou bem. Muito bem cuidada pela família e por uma série de pessoas queridas que estão me apoiando nesse momento. Obrigada!", escreveu.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, também se manifestou em rede social, dizendo que acionará a corregedoria para apurar a conduta do advogado Wassef.

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro e a Comissão Nacional de Mulheres da Fenaj também emitiram nota em que "repudiam veementemente a ameaça do advogado".

"A jornalista vem desempenhando importante trabalho de investigação e expondo possíveis crimes cometidos por Jair Bolsonaro", diz a nota, acrescentando ainda: "Não aceitaremos que o presidente e seus apoiadores sigam ameaçando jornalistas e colocando suas vidas em risco. Exigimos dos órgãos responsáveis imediata apuração da ameaça e proteção à jornalista."

"Basta de ameaças às jornalistas, à imprensa, ao livre exercício do jornalismo e à liberdade de expressão, pilares de qualquer Estado Democrático", conclui a nota.

1/3