ABL faz encontro intercontinental histórico de lexicografia


Encontro foi promovido pela ABL de forma virtual

Em plena pandemia de coronavírus, a Academia Brasileira de Letras realizou nesta segunda-feira, 19, um encontro considerado histórico para a preservação das línguas de origem latina. Seis importantes academias de letras participaram, de forma inédita, do I Encontro de Lexicografia da Academia Brasileira de Letras com Academias de Línguas Latinas.


Dirigida pelo presidente da ABL, Marco Lucchesi, a reunião intercontinental, realizada de forma virtual, contou com as participações da Real Academia Española, da Academia Argentina de Letras, da Real Academia Gallega, da Academia Rumana de Letras e da Accademia Della Crusca.


Esta última instituição, provavelmente a mais prestigiosa por sua antiguidade - foi fundada em Florença, em 1583 - e por seu empenho em manter a pureza da língua italiana original, publicou em 1612 a primeira edição do Vocabolario della língua italiana, que serviu como exemplo lexicográfico para as línguas francesa, espanhola, alemã e inglesa.

Sede da Accademia Della Crusca, em Firenzi

A Accademia Della Crusca foi representada no encontro promovido pela ABL por seu presidente, Claudio Marazzini, que se referiu ao evento como uma "iniciativa extraordinária e genial" de Marco Lucchesi. Ele enfatizou a necessidade de preservação das línguas latinas frente à presença mundial do inglês como a "língua dominante".


Segundo Lucchesi, essa primeira reunião virtual, com duração de duas horas, que serviu para as instituições apresentarem as suas principais iniciativas e desafios no campo da lexocologia e da lexicografia, é apenas um primeiro passo. "Haverá, no decorrer do tempo, aprofundamentos metodológicos e científicos", disse o presidente da ABL.


"O encontro inédito de hoje responde pela missão da língua na Academia Brasileira de Letras tão bem representada pelo acadêmico Evanildo Bechara. Foi o primeiro passo e também um gesto histórico que reúne pela primeira vez os setores de lexicologia e lexicografia das academias envolvidas. Um percurso importante no momento em que as instituições trabalham como podem para enfrentar a pandemia e não deixar de lado suas obrigações sociais, artísticas e intelectuais", explicou Lucchesi.

Marco Lucchesi, presidente da ABL, e Claudio Marazzini, presidente da Accademia Della Crusca

1/3
300x250px.gif