728x90_2.gif

Abordagem no mar e prisão de 13 pescadores em Niterói


Uma das traineiras flagradas já com a rede lançada em águas protegidas, em frente a Piratininga / Foto: Divulgação

Agentes da Polícia Civil prenderam 13 pescadores em flagrante na noite da quarta-feira, 20, pela prática de crime ambiental na costa da praia de Piratininga, em Niterói. A ação foi realizada por policiais da 81º DP (Itaipu), acompanhados por agentes do Instituto Estadual do Ambiente - INEA, após receberem várias denúncias de moradores do bairro pelo Whataspp da delegacia sobre a prática de pesca ilegal.


Segundo os agentes da delegacia, por volta das 18h40h, após avistarem as traineiras Carlos Teles e Coliseu I iniciando as atividades de pesca em local proibido, os policiais fizeram a abordagem dos barcos e já deram voz de prisão. A região em que eles estavam é uma área de preservação da pesca tradicional dos pescadores da região de Itaipu, onde não é permitida a atividade de embarcações pesqueiras de grande porte. A pesca industrial dentro da área de preservação é proibida pelo Decreto 44417/13.


No momento da abordagem, os policiais constataram que os pescadores já estavam com redes prontas lançadas, embora os suspeitos tenham tentado recolher as redes ao avistarem a lancha do Inea. As atividades foram interrompidas e as embarcações trazidas ao cais de Jurujuba, com os tripulantes conduzidos à delegacia para registrar a prisão em flagrante. Todos os tripulantes irão responder pela prática de crimes ambientais.


"Por conta da rápida ação da Polícia Civil e dos agentes do Inea, que interromperam as atividades de pesca logo no início, evitou-se a morte de milhares de peixes nesta área, o que causaria grande impacto na vida marinha da Baía de Guanabara", disse a delegada titular da 81ª DP, Raissa Celles.


A 81º DP também pede que todos que constatem a prática de crimes ambientais na região façam denúncias à polícia civil para evitar esse tipo de ação criminosa.

1/3