Abril registra recorde de desmatamento na Amazônia


Levantamento do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) divulgados nesta segunda-feira (17) apontou 778 km² de desmatamento na Amazônia no mês de abril, o maior valor em dez anos. O desmate neste mês de 2021 foi 45% maior do que no mesmo período do ano passado, que foi de 536 km² de destruição da floresta amazônica.

Os estados com maior área desmatada foram Amazonas, Pará e Mato Grosso, onde 76% do desmatamento de abril deste ano foi registrado, conforme os dados do instituto.

O Imazon realiza o monitoramento da área através do Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD), o que é feito via satélites.

O sistema é diferente do utilizado pelo governo federal, que usa o Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (DETER), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Apesar da diferença, o DETER também apontou recorde em abril, com 581 km² de área sob alerta de desmatamento, o pior desde 2016.

O total de "florestas degradadas" na Amazônia Legal somou 99 km² em abril, um aumento de 60% em relação ao mesmo mês de 2020, quando a degradação foi de 62 km².

Citado pelo G1, o Imazon informa que classifica o desmatamento como o processo de realização do corte raso, que é a remoção completa da vegetação florestal. "Na maioria das vezes, essa floresta é convertida em áreas de pasto. Já a degradação é caracterizada pela extração das árvores, normalmente para fins de comercialização da madeira", explica o instituto.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif