top of page

Acampamento de golpistas no Rio é desmontado

Os bolsonaristas acampados em frente ao quartel do Comando Militar do Leste (CML), na Praça Duque de Caxias, na Central do Brasil, Rio de Janeiro, começara a deixar o local na tarde de hoje (segunda, 9/1). O Exército Brasileiro intermediou o diálogo com os manifestantes, conduzindo uma saída 'quase' pacífica. Isso porque os golpistas não pouparam agressões verbais e até físicas contra jornalistas e fotógrafos que faziam a cobertura no momento do desmonte.

Bolsonarista radical ameaça jornalistas em frente ao Comando Militar do Leste, no Rio / Reprodução / TV Globo

Na noite de ontem (domingo), o procurador Júlio José Araújo Junior, do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro, enviou um ofício para o general de Exército André Luis Novaes de Miranda, comandante Militar do Leste, solicitando “providências urgentes para desmantelar e desocupar acampamento instalado na frente das instalações do Palácio Duque de Caxias”, sede do CML no Rio.


No documento, o procurador argumenta que o país assistiu a “atos golpistas, com métodos terroristas”, com a depredação das sedes dos Três Poderes. “Os criminosos atentaram contra o Estado Democrático de Direito e manifestaram total desprezo pelas instituições da República”.


“Tais fatos violentos puseram em risco a vida de numerosas pessoas (entre agentes públicos e particulares), causaram danos ao patrimônio público e, sobretudo, causaram medo e insegurança à população em geral. Além disso, geram a apreensão de que novas mobilizações golpistas ocorrerão, não só em Brasília, mas em todo o país”, diz o ofício.


O ofício foi assinado eletronicamente às 20h25 e estabeleceu prazo de 12 horas para as providências serem tomadas. Porém, passado o prazo, o acampamento permanecia no local por volta das 10h desta segunda-feira, sem movimentação de polícia ou exército na praça. Ao mesmo tempo, muitos carros da Polícia Militar podiam ser vistos parados em outras ruas no centro da cidade.


Apoio da prefeitura


Pelo Twitter, o prefeito Eduardo Paes anunciou que se reuniu no início da manhã com o secretário Municipal de Ordem Pública, Brenno Carnevale Nessimian, e com o comandante da Guarda Municipal, inspetor José Ricardo Soares da Silva, “para garantir o respeito ao estado democrático de direito na cidade do Rio”.


“Até a noite de hoje (segunda, 9/1) a prefeitura do Rio irá, em colaboração com o Exército e com a Polícia Militar, promover a retirada de todos os objetos e barracas que ocupam o espaço público tomado por manifestantes que atentam contra a democracia na praça Duque de Caxias”, garantiu o prefeito.


300x250px.gif
728x90px.gif