Agenda climática de Niterói tem reconhecimento internacional


A Prefeitura de Niterói recebeu o reconhecimento do Global Covenant of Mayors for Climate & Energy - Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e a Energia (GCoM) pelos esforços do município para a redução do impacto de mudanças climáticas. A partir dos dados enviados ao Sistema Unificado de Reporte CDP-ICLEI em 2020, a instituição concedeu duas medalhas de reconhecimento à cidade: azul (mitigação) e verde (adaptação às mudanças climáticas). No Estado do Rio, além de Niterói, apenas o Rio de Janeiro, Quissamã, Mesquita e Rio das Flores fazem parte do pacto.


Reprodução

À medida que Niterói for implementando seus compromissos climáticos, o progresso vai sendo reconhecido por um sistema de medalhas compartilhadas com a comunidade global. O município já desenvolveu e apresentou a Avaliação de Risco Climático e Vulnerabilidade e o Inventário de Emissões de Gases Estufa.


Fogo em florestas, tempestades e dias extremamente quentes estão entre os riscos climáticos mapeados como mais altos. A emissão por transportes aparece como fator de maior concentração de emissões. O número de carros na cidade aumentou 28% nos últimos 10 anos, o que significa que há um carro para cada três habitantes. Esse desafio está sendo enfrentado com as diretrizes do novo Plano Diretor e do Plano de Mobilidade, e com projetos estruturantes voltados para a mobilidade sustentável, a expansão do transporte público e o fortalecimento da mobilidade ativa.


O secretário municipal do Clima, Luciano Paez, explica que Niterói é uma cidade privilegiada por suas belezas naturais, porém pode se encontrar em estado de vulnerabilidade climática.


"Precisamos repensar o uso e a ocupação do solo niteroiense, realizando uma política de prevenção e adaptação da cidade aos eventos extremos. A elevação do nível do mar, bem como fortes chuvas e estiagens são cada vez mais frequentes e com projeções de maior intensidade nas próximas décadas. Com a implantação de um fórum municipal de mudanças climáticas, parcerias público-privadas com instituições nacionais e internacionais, uma gestão integrada das diversas secretarias de governo, o fortalecimento do atual Plano Diretor da cidade, sobretudo no que tange às ações sobre mudanças climáticas, entre outros, serão os principais norteadores da nossa secretaria. Além é claro de ações e projetos pragmáticos e já iniciados inclusive com a UFF, buscaremos mitigar os Gases de Efeito Estufa (GEEs) através de novos formatos de recursos energéticos, como também sobre a mobilidade urbana”, explicou.

Divulgação / Prefeitura de Niterói

Em 2017, a Prefeitura de Niterói recebeu o selo de elaboração do inventário das emissões de gases de efeito estufa (GEE), concedido pelo Iclei (Governos Locais pela Sustentabilidade). Em fevereiro deste ano, Niterói se tornou o primeiro município do Brasil a ter uma secretaria municipal do Clima.


O compromisso de Niterói com o Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e a Energia (GCoM) conecta a cidade à maior aliança global comprometida com a liderança climática das cidades, com base no compromisso de mais de 10.500 governos locais de seis continentes, representando mais de 900 milhões de cidadãos em todo o mundo.


Fonte: Coordenadoria Geral de Comunicação da Prefeitura de Niterói

1/3
300x250px - para veicular a partir do di

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

Leia também: