Agente da PF, bolsonarista militante, teria agido por Flávio


O agente PF da Abin, Marcelo Bormevet, e os filhos do presidente, Carlos, Eduardo e Flávio Bolsonaro (Montagem)

Nas redes sociais, Marcelo Araújo Bormevet se apresenta como um cidadão “100% patriota. Conservador. Cristão” - chavão conhecido dos bolsonaristas. Ele compartilha publicações de Jair Bolsonaro e as teorias criadas e propagadas pelo gabinete do ódio e por apoiadores influentes do presidente. Mas o que Marcelo Bormevet nunca revelou, no entanto, é que ele é um agente do Estado brasileiro, mais precisamente, agente da Polícia Federal, e não apenas isto, lotado desde 24 de setembro de 2019 na Agência Brasileira de Informação (Abin), e seria, de acordo com informações obtidas pelo site The Intercept, o responsável pela elaboração de dois relatórios do órgão de espionagem público com o objetivo de “defender Flávio Bolsonaro no caso Alerj” - o esquema criminoso das rachadinhas, pelo qual o filho 01 do presidente é acusado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro de organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro.

Segundo o The Intercept, em reportagem liberada apenas para inscritos em sua newsletter, a informação teria sido confirmada por uma fonte da própria Abin, que deu detalhes sobre o caso.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg