Alemanha adverte sobre 'revoltas populares' se país ficar sem gás


(Foto: Aleksei Vitvitsky/Sputnik)

O governo da Alemanha reconheceu que, se a turbina reparada do gasoduto Nord Stream (Corrente do Norte) não for recebida, o país poderá enfrentar consequências políticas internas devastadoras, afirmou Annalena Baerbock, a ministra das Relações Exteriores da Alemanha, em entrevista à RND.

"Se não conseguimos a turbina de gás, não conseguimos mais gás, e então não poderemos prestar nenhum tipo de apoio à Ucrânia, porque estaremos ocupados com as revoltas populares", citou Baerbock as declarações dos representantes alemães nas negociações com os canadenses relativamente à devolução da turbina.

Ao ser questionada se realmente considera que poderiam acontecer revoltas populares, a chefe da diplomacia alemã assinalou que isso "talvez foi um pouco exagerado" e detalhou que levava em conta a situação quando a Alemanha não iria ter mais gás.

"O que quero dizer é que continuamos a precisar do gás da Rússia", explicou, acrescentando que "o objetivo do governo federal é mitigar o impacto social".

Os elevados preços do gás são um fardo pesado para muitas pessoas na Alemanha, disse ministra.

"Esta é a nossa importante tarefa para o inverno, devemos assegurar que esta guerra não provoque divisões na sociedade", observou.

A turbina em questão foi enviada para manutenção na cidade canadense de Montreal, o único local onde este processo pode ser realizado. No entanto, a peça ficou bloqueado por causa das sanções antirrussas anunciadas pelo governo do primeiro-ministro canadense Justin Trudeau.

Isso fez com que a empresa russa de energia Gazprom reduzisse os fornecimentos para 40% dos níveis habituais, o que foi justificado pela ausência da peça necessária.

Anteriormente, Damien Ernst, especialista da indústria de energia, avisou que a União Europeia (UE) não será capaz de substituir totalmente o gás natural russo nos próximos anos se Moscou mantiver seu principal gasoduto para a Alemanha fechado.

A Alemanha, por exemplo, não possui terminais de GNL, e suas reservas caíram em junho, apesar dos esforços para reduzir o consumo.


Fonte: Agência Sputnik

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif