top of page

Aliados de Bolsonaro temem depoimento de Anderson Torres

Aliados próximos ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) temem um 'depoimento comprometedor' ou mesmo uma delação premiada do ex-ministro da Justiça Anderson Torres. Há uma avaliação entre pessoas do núcleo político de Bolsonaro de que a situação do ex-ministro de Jair Bolsonaro (PL) ficou "extremamente delicada". A informação é do g1.

Foto: Rodrigo Pozzebom / Agência Brasil

"A existência da minuta indica que Bolsonaro pensou no assunto. E Anderson Torres terá que responder quem escreveu a minuta. Bolsonaro teve participação? O incômodo no partido é muito forte, porque o PL não quer confusão. O PL é da política", disse um integrante influente do partido, de acordo com o colunista Gerson Camarotti.


Torres teve ordem de prisão decretada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), por omissão no episódio dos atos golpistas do último domingo (8/1). Ele garantiu que vai retornar ao Brasil e se entregar à Justiça. O ex-ministro da Justiça estava em Orlando, nos EUA, e, de acordo com o UOL, teria se encontrado com Bolsonaro um dia antes dos ataques aos prédios dos Três Poderes.


Nesta quinta-feira (12/1), o jornal Folha de S.Paulo revelou que, durante operação realizada nesta semana na casa do ex-ministro, a Polícia Federal encontrou um rascunho de um decreto supostamente preparado para o ex-presidente tentar reverter o resultado das eleições de 2022, vencidas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).


A minuta do decreto indicou o objetivo de instaurar um estado de defesa na sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Segundo Camarotti, interlocutores do ex-presidente avaliam que "não há segurança" neste cenário e consideraram "fraca" a explicação de Torres de que o documento seria triturado e que foi vazado fora de contexto.


*Com informações do g1, Folha de S.Paulo e UOL


300x250px.gif
728x90px.gif
bottom of page