Alto-Comando do Exército apoia reação de Fux a Bolsonaro


(Foto: Marcos Corrêa/PR)

O Alto-Comando do Exército vem dizendo nos bastidores que concordam com o posicionamento do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, ao cancelar a reunião entre Poderes devido aos ataques do presidente Jair Bolsonaro à Corte e ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em conversas reservadas, generais afirmam que a reação de Fux faz sentido, pois o comportamento do presidente deixa claro que ele não quer conversa. As informações são da Folha de São Paulo.

Mesmo sendo críticos da atuação de alguns ministros do STF, os militares acreditam que a ofensiva do Judiciário pode frear as ações descabidas do presidente da República.

O que explicaria essa "aceitação" do Alto-Comando seria a escalada da crise e o temor do que pode ocorrer em 2022, ano de eleição presidencial.

O procedimento aberto pelo TSE, a inclusão do presidente como investigado no inquérito das fakenews e o cancelamento da reunião entre chefes de Poderes, podem fazer Bolsonaro "baixar a bola", conforme disseram integrantes do Exército.

Eles entendem, porém, que o efeito deve durar pouco. A crise deve se prolongar, com novos arroubos autoritários do presidente, que não segue a liturgia mínima do cargo que ocupa, na visão dos militares.

Esses mesmos generais afirmam inexistir a possibilidade de um golpe perpetrado por Bolsonaro e de uma consequente ruptura do processo democrático.

No Alto-Comando, existe um temor real de que se repitam no Brasil as cenas vistas nos Estados Unidos após a derrota do republicano Donald Trump, ídolo de Bolsonaro, culminando com a invasão do Capitólio por apoiadores do ex-presidente, com graves episódios de violência e até morte de uma pessoa, além de vários feridos.

Nesta sexta-feira, juízes federais publicaram uma nota classificando como "inaceitáveis as repetidas mensagens distorcidas sobre decisões judiciais" feitas por Bolsonaro.

Os magistrados também manifestaram repúdio "à escalada de desrespeito" aos integrantes do STF e defenderam o posicionamento de Fux.

O apoio de generais militares à ação do presidente do STF mostra que Jair Bolsonaro caminha para um isolamento político.

Nesta semana, em entrevista à Globonews, o ex-ministro da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz afirmou que Bolsonaro está criando deliberadamente confusão sobre o sistema de votação e que as Forças Armadas estão sofrendo muito desgaste por conta da politização e da ocupação de mais de seis mil cargos no governo.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif