Ana Marcela amplia vantagem das mulheres de ouro em Tóquio


Ana Marcela Cunha conquistou o ouro na prova da maratona aquática em Tóquio (Foto: Jonne Roriz/COB)

A brasileira Ana Marcela Cunha conquistou a medalha de ouro na prova dos 10 quilômetros da maratona aquática da Olimpíada de Tóquio e se tornou a primeira mulher brasileira a ganhar a principal medalha na natação. Ela venceu a prova nesta terça-feira (3) na Marina de Odaiba com o tempo de 1h59min30s8.

A atleta da Unisanta, de Santos, esteve no pelotão da frente durante praticamente toda a prova. Nos 5,2 km de prova, ela cravou a marca de 1h02min30s5, mais de três segundos à frente das perseguidoras mais próximas. Após cair para o quarto lugar, a nadadora voltou a assumir a ponta aos 8,6km para seguir na liderança até cruzar o pórtico de chegada para conquistar sua primeira medalha em sua terceira participação em Olimpíadas.

A medalha de prata ficou com holandesa Sharon van Rouwendaal (ouro na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro), que fez o tempo de 1h59min31s7, enquanto a australiana Kareena Lee ficou com o bronze, com a marca de 1h59min32s5.

Na carreira, a baiana de 29 anos já foi eleita seis vezes a melhor atleta do mundo em maratonas aquáticas. Além disso, ela é tetracampeã mundial em provas de 25 km (2011, 2015, 2017 e 2019) e campeã pan-americana em Lima (2019) na prova de 10 km. Nos Jogos de 2008 (Pequim), ela finalizou na quinta posição. Após não se classificar para os Jogos de 2012 (Londres), Ana Marcela voltou a competir no Rio de Janeiro, em 2016, quando acabou no 10º lugar.

Em busca de mais títulos

Após a conquista, Ana Marcela deu uma entrevista na qual falou do tamanho da sua conquista: “A medalha como material representa muito, mas acho que a conquista e a glória de ter sido campeã olímpica, isso fica para sempre, na história da maratona, na história do Brasil”.

Além disso, ela comentou sua próxima meta, alcançar o título mundial na prova dos 10 km: “Ser campeã olímpica aqui é muito importante, eu ainda não fui campeã mundial nos 10 km, o que também é muito importante. Então saio daqui querendo mais para o ano que vem”.

A medalha de Ana Marcela Cunha é a segunda do Brasil em provas de maratona aquática nos Jogos Olímpicos. Nos Jogos de 2016 (Rio de Janeiro), Poliana Okimoto garantiu um bronze.

Mulheres de ouro

Agora, das quatro medalhas de ouro conquistadas pelo Brasil, três são das mulheres (Rebeca Andrade, na ginástica, a dupla Martine Grael e Kahena Kunze, na vela, e Ana Marcela) contra uma dos homens (Ítalo Ferreira, no surfe).

A medalha conquistada por Ana Marcela foi a oitava de mulheres brasileiras nos Jogos de Tóquio, um recorde para uma edição de Olimpíada, superando as sete de Pequim 2008.

O ouro de Ana Marcela também levou o Brasil a alcançar seu melhor desempenho em uma Olimpíada fora de casa, superando Londres-2012 e Pequim-2008, quando teve 17 medalhas.

Os atletas brasileiros colocaram até agora 15 medalhas no peito, mas já asseguraram outros três pódios, só não sabendo a cor, no boxe (duas) e no futebol, que disputará a final contra a Espanha, neste sábado. Faltam duas medalhas para ultrapassar a marca histórica da Rio-2016.

Nesta quarta-feira, o Brasil está na 15ª colocação, com quatro ouros, três pratas e oito bronzes.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg