728x90_2.gif

Anvisa decidirá no domingo autorização para vacinas


(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

A reunião da diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que definirá a autorização do uso da CoronaVac e da vacina de Oxford no Brasil está agendada para este domingo (17). Os pedidos envolvem 8 milhões de doses vindas da China e da Índia. A data é o penúltimo dia do prazo que a agência tem para a análise dos pedidos.

A reunião deve decidir sobre o uso emergencial, temporário e experimental dos imunizastes.

"Faz-se necessária a entrega, em tempo hábil para análise, dos documentos faltantes e complementares", disse a agência, em comunicado.

Na última sexta-feira (8), tanto o Instituto Butantan, responsável pela produção da CoronaVac desenvolvida na China, como a Fiocruz, que produzirá a vacina de Oxford, da farmacêutica AstraZeneca, enviaram o pedido de uso emergencial para a Anvisa. A agência aceitou os dados entregues pela Fiocruz, mas exigiu mais detalhes sobre a documentação da CoronaVac.

Os pedidos são para uso de 6 milhões de doses importadas da China pelo governo de São Paulo e 2 milhões de doses da vacina de Oxford produzidas na Índia e importadas pela Fiocruz, do governo federal.

A autorização de uso é destinada apenas para o público previamente testado nos estudos, definido pelos próprios laboratórios. Esse público alvo é composto por trabalhadores de saúde, idosos (acima de 60 anos), população indígena, povos e comunidades tradicionais ribeirinhas e quilombolas, pessoas com comorbidades, professores, profissionais de forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade e pessoas com deficiência permanente severa - de acordo com o plano nacional de vacinação..

Enquanto o Brasil segue sem data para o início da vacinação nacional, os números da pandemia no país seguem crescendo: a média móvel de novos casos diários de Covid-19 no país nunca esteve tão alta. No total, a pandemia já deixou 203.617 mortos e 8.133.833 infectados no Brasil.

1/3