Após renegar a CoronaVac 10 vezes, agora é 'do Brasil'


Num recado velado para o governador João Doria, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira, um dia depois de a Anvisa liberar o uso emergencial de duas vacinas contra a Covid-19, que a vacina é "do Brasil, não é de nenhum governador", referindo-se à CoronaVac, fruto de uma parceria entre o Instituto Butantan e a Sinovac, da China.

A CoronaVac foi alvo de diversos ataques de Bolsonaro desde o primeiro momento em que o Instituto Butantan, vinculado ao governo de São Paulo, anunciou a parceria com a farmacêutica chinesa.

Nos últimos meses, o imunizante desenvolvido na China foi reiteradamente renegado por Bolsonaro. O imunizante é o mesmo que foi referendado neste domingo (17) pelos cientistas e técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitaária (Anvisa), órgão independente vinculado ao governo federal.

A seguir, as manifestações públicas de Bolsonaro envolvendo a CoronaVac.


1 - "Se fala muito da vacina da Covid-19. Nós entramos naquele consórcio lá de Oxford. Pelo que tudo indica, vai dar certo e 100 milhões de unidades chegarão para nós. Não é daquele outro país não, tá ok, pessoal? É de Oxford aí", disse o presidente, em julho do ano passado, referindo-se à vacina produzida na China como "daquele outro país".


2 - "E o que é mais importante nessa vacina [de Oxford], diferente daquela outra [CoronaVac] que um governador resolveu acertar com outro país, vem a tecnologia pra nós", disse ele, em agosto, minimizando a importância da CoronaVac.


3 - "Vacina chinesa de João Doria", afirmou, em outubro, após o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciar um acordo para a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac, e garantiu que não seria comprado.


4- "Já mandei cancelar, o presidente sou eu, não abro mão da minha autoridade", disse no mesmo dia, referindo-se ao acordo anunciado por Pazuello.


5- "A da China nós não compraremos, é decisão minha. Eu não acredito que ela transmita segurança suficiente para a população. A China, lamentavelmente, já existe um descrédito muito grande por parte da população, até porque, como muitos dizem, esse vírus teria nascido por lá", afirmou Bolsonaro.


6 - "Ninguém vai tomar a sua vacina na marra não, tá ok? Procura outro. E eu, que sou governo, o dinheiro não é meu, é do povo, não vai comprar a vacina também não, tá ok? Procura outro para pagar a tua vacina aí", disse, referindo-se a João Doria.


7- "Morte, invalidez, anomalia. Esta é a vacina que o Dória queria obrigar a todos os paulistanos tomá-la. O Presidente disse que a vacina jamais poderia ser obrigatória. Mais uma que Jair Bolsonaro ganha", escreveu em sua rede social, cantando vitória, após a morte de um dos voluntários da CoronaVac. A causa da morte, segundo atestou o Instituto Médico Legal, foi suicídio e a Anvisa concluiu posteriormente que não havia relação com os testes.


8 - "A eficácia daquela vacina em São Paulo parece que está lá embaixo", disse bolsonaro antes de o Butantan divulgar os dados finais da CoronaVac.


9 - "Essa de 50% uma boa?", perguntou Bolsonaro a um de seus seguidores na frente do Palácio da Alvorada, na última quarta-feira, após saber que o Butantan divulgou que a taxa de eficácia geral da CoronaVac era de 50,38%.


10 - "Desmoralizado pela baixa taxa de sucesso na sua vacina", disse o presidente na última sexta-feira, referindo-se a João Doria, pouco antes de o Ministério da Saúde requisitar ao governo de São Paulo todas as doses da CoronaVac.

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

Leia também:

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle