Após tumultos, vacinação contra gripe é replanejada


Após tumulto, confusão e falta de vacina registrados em vários municípios fluminenses, a secretaria de Saúde do estado resolveu mudar, nesta terça-feira (24), a estratégia da campanha contra a gripe H1N1 e divulgou um novo calendário de vacinação por grupos etários menores. O público-alvo nesta atual fase da campanha nacional são os idosos e profissionais da saúde. O esquema, dividido por faixas etárias, começa a valer nesta quarta-feira (25) e deve ser seguido por todos os 92 municípios fluminenses. A secretaria esclarece que a competência de entrega de vacinas aos estados é do Ministério da Saúde; aos estados, por sua vez, compete distribuir aos municípios.

Entre 25 e 28 de março, devem buscar a imunização contra o Influenza pessoas com 80 anos ou mais; entre 30/03 e 03 de abril, idosos com idades entre 70 e 79 anos; e, do 06 a 14 de abril, indivíduos que tenham entre 60 e 69 anos. A partir do dia 15, a imunização voltará a ser feita em todos os cidadãos com 60 anos ou mais.

- Por causa do coronavírus, houve uma corrida desenfreada aos postos de saúde. Essa adaptação foi motivada para preservar a população, que não deve se aglomerar enquanto espera para ser vacinada - explicou o secretário de de Saúde, Edmar Santos.

Por sua vez, Alexandre Chieppe, médico sanitarista da secretaria, afirmou que devem ser estabelecidos, nos locais de vacinação, espaços por grupos específicos, de forma a evitar o contato das pessoas:

- Deve-se sempre priorizar locais abertos e arejados. E, se ocorrer formação de filas, o profissional de saúde deve orientar as pessoas que seja respeitada uma distância mínima de 1,5m entre elas - disse Chieppe.

A vacina, composta por vírus inativado, é trivalente e protege contra os três vírus que mais circularam no hemisfério sul em 2019: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2).

Casos no estado


Em 2020, o estado do Rio de Janeiro registrou 121 casos de influenza/SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e 3 casos de H1N1, sem registro de óbito. Já no ano passado, foram 2.432 casos de influenza/SRAG e 168 casos de H1N1, com 62 óbitos.

A doença

A gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório, provocada pelo vírus da influenza, com grande potencial de transmissão. Provoca febre, tosse, coriza, dores de cabeça e garganta e pode matar.

Principais sintomas

Inicia-se com febre, dor no corpo, e tosse seca. Normalmente, tem evolução por tempo limitado, durando de um a quatro dias, mas pode se apresentar forma grave, podendo levar a óbito.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif