Arquiteto da invasão do Iraque, Colin Powell morre de covid


Colin Powell, um dos arquitetos da invasão do Iraque pelos EUA (Foto: Divulgação)

O general Colin Powell, primeiro secretário de Estado afro-americano dos Estados Unidos (EUA) e um dos arquitetos da invasão do Iraque em março de 2003, morreu nesta segunda-feira (18), aos 84 anos, vítima de complicações da covid-19, informou a família em sua página no Facebook.

"Ele estava totalmente vacinado. Queremos agradecer à equipe médica do Walter Reed National Medical Center pelo tratamento cuidadoso. Perdemos um notável e amoroso marido, pai, avô e um grande americano", disse a família de Powell no comunicado.

Ele foi conselheiro de Segurança Nacional na Administração de Ronald Reagan e, como general quatro estrelas do Exército, foi chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas no governo do presidente George H. W. Bush durante a Guerra do Golfo de 1991, quando as forças lideradas pelos EUA expulsaram as tropas iraquianas do vizinho Kuwait.

A reputação de Powell foi abalada quando, como primeiro secretário de Estado de George W. Bush, ele jogou informações falsas na Organização das Nações Unidas (ONU) para justificar a invasão do Iraque.

No discurso na ONU em fevereiro de 2003, ele afirmou que, de acordo com investigações dos serviços de inteligência dos EUA, o regime iraquiano tinha armas de destruição em massa, e era necessário acabar com isso.

O então secretário convenceu políticos e a imprensa norte-americanos da necessidade de invadir o Iraque, mas o país do Oriente Médio nunca possuiu as armas citadas por ele.

Powell chegou a admitir que foi "uma mancha" em seu currículo. Tropas dos EUA permanecem até hoje no Iraque.

300x250px.gif
728x90px.gif