top of page

Ataque golpista aos Três Poderes envolveu tática de guerrilha


(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Policiais legislativos que defenderam o prédio do Congresso Nacional que foi atacado por bolsonaristas radicais em 8 de janeiro afirmam que os bolsonaristas invasores tinham conhecimento da planta do palácio que abriga o Senado Federal e a Câmara dos Deputados.


Os responsáveis pelos ataques sabiam até mesmo da existência de um alçapão na cúpula do prédio que dá acesso às galerias, segundo o diretor da coordenação de segurança da Câmara, Adilson Paz, em um confronto que durou cerca de três horas.


Cerca de cem agentes trabalharam na segurança no dia da invasão. Os responsáveis pelos atos de vandalismo estavam munidos de rojão, estilingue com bolas de gude e facões. Também portavam máscara antigás, capacete e escudo.


"Começaram a entrar por todos lugares da casa e tentaram abrir o alçapão, que dá acesso às galerias. Um grupo de policiais conseguiu repelir e foram atacados com pedras, paus e ferros. Mas eles conseguiram induzir os manifestantes a bloquear esse acesso", declarou o policial em entrevista veiculada pela rádio CBN nesta quarta-feira (18).


Houve diversas tentativas de acessar o plenário da Câmara. Os extremistas chegaram a usar táticas de rapel ao tentar invadir o Salão Verde a partir dos jardins no entorno do prédio.


Conforme imagens veiculadas na internet, uma parte chegou ao plenário do Senado.


Uma porta reforçada da Câmara, no entanto, impediu o acesso ao plenário desta casa.


Segundo Paz, propositalmente, o grupo que praticou ações violentas molhou o carpete com mangueiras de incêndio do local, a fim de minimizar os efeitos das bombas de gás lacrimogêneo.

Extremistas raivosos também tentaram incendiar o edifício.


"Eles falavam que iriam jogar fogo no plenário e que sabiam quais eram os pontos. Muitos foram direto para o Salão Verde, outros foram direto para arrebentar o alçapão. Eles conseguiram acessar as galerias do Senado e, quando vieram tentar acessar o nosso lado, a gente conseguiu segurar com gás e bomba de efeito moral", declarou o policial.


Imagens da Câmara mostraram também o baixo policiamento ostensivo, que compete à Polícia Militar do Distrito Federal. Extremistas romperam a barreira das dezenas de policiais às 14h43 e levaram menos de dois minutos para tomar a cúpula do Congresso.


Lula: Bolsonaro tem culpa sobre atos

Nesta quarta-feira, em Brasília, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) tem culpa sobre os ataques e que os atos de vandalismo foram uma "tentativa de golpe por gente preparada".


"Eles esperaram uma semana [após assumir a Presidência] e tentaram dar um golpe. Porque o que houve aqui foi uma tentativa de golpe. Uma tentativa de golpe por gente preparada. Eu não sei se o ex-presidente mandou, o que eu sei é que ele tem culpa porque ele passou quatro anos instigando o povo a ter ódio, mentindo para a sociedade brasileira e instigando que o povo tinha que estar armado para garantir a democracia", afirmou Lula, citado pela Folha de São Paulo.


Com a Sputnik Brasil

300x250px.gif
728x90px.gif