Bandeiras: taxa extra na conta de luz vai subir até 64%


(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (21) o novo reajuste das bandeiras tarifárias, que incidem na conta de luz quando aumenta o custo de produção de energia no país. Os aumentos irão de 3,2% a 63,7%, dependendo do tipo da bandeira, e entrarão em vigor em 1º de julho com previsão de validade até junho de 2023.

Para a bandeira verde não haverá cobrança adicional. A maior alta será no valor da bandeira vermelha patamar 1 (alta de 63,7%). O valor da bandeira amarela vai subir 59,5% e da vermelha patamar 2 aumentará 3,2%.

Confira os novos valores.

Bandeira verde: continua sem cobrança adicional;

Bandeira amarela: de R$ 1,874 para R$ 2,989 a cada 100 kWh consumidos (+ 59,5%);

Bandeira vermelha patamar 1: de R$ 3,971 para R$ 6,500 a cada 100 kWh consumidos (+ 63,7%);

Bandeira vermelha patamar 2: de R$ 9,492 para R$ 9,795 a cada 100 kWh consumidos (+3,2%).

A bandeira "escassez hídrica" foi criada durante a crise energética e vigorou de setembro do ano passado a 15 de abril deste ano, data a partir da qual foi extinta. Desde 16 de abril, vigora no Brasil a bandeira verde, ou seja, não há cobrança extra sobre a conta de luz. Segundo a Aneel, a tendência é que permaneça assim até o fim do ano, devido à recuperação dos reservatórios das hidrelétricas. Mas pode voltar, a depender do custo para produção de energia. A bandeira tarifária em vigor é divulgada mensalmente pela Aneel.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg