Bia perde a final do boxe para americana derrotada 4 vezes


(Foto: Divulgação/IBA)

Não foi desta vez. Na decisão do título mundial na categoria até 60 quilos, a brasileira Beatriz Ferreira foi prata em Istambul, na Turquia, nesta sexta-feira (20), após ter sido superada pela norte-americana Rashida Ellis - a quem havia derrotado quatro vezes -, em decisão unânime dos juízes. Bia defendia o bicampeonato, já que vencera a última edição em 2019. A baiana entrou para a história do boxe brasileiro ao se tornar a primeira pugilista com duas medalhas mundiais na carreira. A conquista de Bia nesta sexta-feira foi a segunda do Brasil no Mundial: na última segunda (16), a pernambucana Caroline Almeida faturou o bronze na categoria 52 kg.

Vice-campeã olímpica em Tóquio, Bia entrou no ringue com um histórico a seu favor, já que vencera quatro de cinco confrontos anteriores contra Rashida Ellis. No entanto, no embate desta sexta quem começou melhor no primeiro round foi a norte-americana, que acertou bom golpes, fechando na frente por 4 a1, em decisão da arbitragem. No round seguinte, Bia foi com tudo para cima de Ellis, mas a norte-americana se valeu de clinches (quando o pugilista abraça o adversário) para travar os ataques. Mais uma vez os juízes deram vantagem para Ellis, por 3 a 2. No terceiro e último round, a baiana encaixou golpes e chegou a pressionar a adversária nas corda. No entanto, a arbitragem repetiu nota 3 a 2 para a norte-americana, que conquistou o ouro.

Para chegar à final do Mundial, Bia emplacou quatro vitórias seguidas. Sobrou na estreia ao vencer Badmaarag Ganzorig (Mongólia) por nocaute técnico, após dois rounds. Na sequência, a baiana derrotou a chilena Valentina Bustamante. Já na quartas, Bia superou a sérvia Natalia Sadrina e na semi bateu a italiana Alessia Messiano.


Ganhe_Ate_300x250px.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
Aumentou_728x90px.gif