728x90_2.gif

Bloqueio não impediu EUA de comprar petróleo do Irã


EUA importaram petróleo bruto e produtos petrolíferos do Irã duas vezes nos últimos meses, apesar de as sanções de Washington proibirem qualquer país de importar petróleo iraniano.

A importação estimada de 36.000 barris por dia em outubro de 2020 (no total de 1,11 milhão de barris) e 33.000 barris por dia em março deste ano (no total de 1,03 milhão de barris) parecem ser as primeiras aquisições feitas pelos EUA do Irã desde 1991, revelou esta sexta-feira (28) a Administração de Informações sobre Energia dos EUA (EIA).

No entanto, a entidade não explicou como é que as importações iranianas apareceram no registo apesar de as sanções dos EUA em vigor proibirem qualquer país de importar petróleo iraniano.

As importações de petróleo iraniano para os EUA cessaram em 1991. Em outubro de 2020, os EUA apreenderam um carregamento de produtos petrolíferos em quatro navios-tanque com destino à Venezuela, que posteriormente foram vendidos, mas as estatísticas da EIA indicam cerca de 1,11 milhão de barris importados.

Os EUA mantêm sanções contra o setor petrolífero iraniano, inclusive chegaram a ameaçar com sanções secundárias contra os importadores de petróleo da República Islâmica logo depois que o ex-presidente americano Donald Trump se retirou em 2018 do acordo internacional JCPOA com o Irã.

Os Estados Unidos têm um longo histórico de sanções contra o Irã, datado de 1984, quando proibiram a venda de armas e toda a assistência dos EUA ao Irã.

O presidente Barack Obama, em 2012, aplicou sanções contra instituições financeiras iranianas, destinadas a sufocar efetivamente a venda de petróleo iraniano. Obama suspendeu essas sanções em 2016 depois que o Irã assinou um acordo nuclear com os Estados Unidos e outras potências mundiais.


Fonte: Sputnik

1/3