Bogueiro bolsonarista Allan dos Santos é denunciado pelo MPF


(Reprodução)

Morando nos Estados Unidos, para onde fugiu alegando que estava sendo perseguido pela Justiça, o blogueiro bolsonarista Allan dos Santos foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por ameaças ao ministro Luís Roberto Barroso, membro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O bolsonarista já respondia a dois inquéritos no STF por sua atuação no financiamento de atos antidemocráticos e na disseminação de notícias falsas (fakenews) nas redes sociais - em setembro do ano passado, ele chegou a dizer que o ministro Alexandre de Moraes, relator desses processos no STF, é “psicopata ou tarado em mim” e “se comporta como uma criança mimada, um moleque sem escrúpulos”.

A denúncia do MPF agora é baseada nas ameaças feitas pelo blogueiro a partir dos EUA em vídeos em que ele afirma que "Barroso é um miliciano digital" e que "está na hora de falar grosso" e que está na hora do ministro "virar homem".

O MPF argumenta que "as ameaças e a incitação ao crime foram proferidas durante a gravação do vídeo intitulado “Barroso é um miliciano digital” e destaca as declarações ofensivas do bolsonarista: “Tira o digital, se você tem c...! Tira a p... do digital, e cresce! Dá nome aos bois! De uma vez por todas Barroso, vira homem! Tira a p... do digital! E bota só terrorista! Para você ver o que a gente faz com você. Tá na hora de falar grosso nessa p...!'".

De acordo com os procuradores do MPF, o blogueiro ultrapassou o seu direito de liberdade de expressão ao formular "desígnios claros de ódio e repúdio contra instituições constitucionais e seu representante".

Se for condenado pelos crimes de ameaça e incentivo a práticas de ameaças, Allan pode pegar até 1 ano de detenção.

Allan Santos, na época em que era seminarista, antes de virar bolsonarista (Reprodução)

Ex-seminarista

Antes de se tornar uma celebridade da extrema-direita, Allan foi seminarista - de família humilde em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Em 2013, um ano antes de abandonar a vida religiosa, viajou para os EUA, onde começou a trabalhar no site de Voris, página radical de direita, conhecida também por disseminar conteúdo falso. Foi nesse período que ele teve contato com Olavo de Carvalho, guru de Jair Bolsonaro e dos bolsonaristas. No fim de 2014, voltou ao Brasil e criou o Terça Livre, já com um modelo importado de outros sites americanos de extrema-direita. Antes de voltar fugindo para os EUA, em julho do ano passado, Santos já morava em Belo Monte do Sul, na serra gaúcha, e foi cotado para ser secretário de Comunicação (Secom) do governo Bolsonaro.

O fanatismo de Allan Santos já lhe rendeu, além de inquéritos, também muito dinheiro. De acordo com as investigações no STF, o blogueiro chegou a faturar mais de R$ 100 mil por mês através de suas publicações fakenews e de ataques à democracia, inclusive com entrada de verbas de publicidade da Secom.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif