Bolsonarista ganha liminar que tira Renan de relator da CPI

Atualizado: Abr 27


Senador Renan Calheiros (MDB-AL) diz que vai recorrer contra decisão da Justiça Federal (Waldemir Barreto/Senado)

O juiz Charles Renald Frazão, da 2ª Vara da Justiça Federal de Brasília atendeu a um pedido da deputada federal bolsonarista Carla Zambelli (PSL-SP) e concedeu uma decisão liminar (temporária) para impedir que o senador Renan Calheiros (MDB-AL) seja relator da CPI da Covid-19. Cabe recurso e a expectativa é que a decisão seja revertida até mesmo antes da reunião desta terça-feira, às 10h, que marcará a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito que investigará omissões e negligências do governo Bolsonaro no combate à pandemia.

Zambelli alegou que Renan é alvo de “apurações e processos determinados pelo STF, envolvendo improbidade administrativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o que compromete a imparcialidade que se pretende de um relator” e é pai do governador de Alagoas, Renan Filho.

O senador se manifestou sobre a decisão do juiz federal, e disse trata-se de “interferência indevida” do Poder Judiciário na atuação do Legislativo.

“A decisão é uma interferência indevida que subtrai a liberdade de atuação do Senado. Medidas orquestradas pelo governo Jair Bolsonaro e antecipada por seu filho. A CPI é investigação constitucional do Poder Legislativo e não uma atividade jurisdicional”, afirmou o senador, acrescentando ainda: “Nada tem a ver com Justiça de primeira instância. Não há precedente na história do Brasil de medida tão esdrúxula como essa. Estamos entrando com recurso e pergunto: por que tanto medo?”.

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

1/3
300x250px - para veicular a partir do di
Leia também: