top of page

Bolsonaristas invadem Congresso, Planalto e STF


Numa ação de terrorismo, um grupo de bolsonaristas, após furar o bloqueio policial, invadiu a Esplanada dos Ministérios e entrou na área do Congresso Nacional por volta das 15h deste domingo (8). Vídeos divulgados nas redes sociais mostram alguns deles usando máscaras de gás para se proteger da ação de poucos policiais militares que cercavam o local e tentavam conter, em vão, o avanço dos extremistas com bombas de efeito moral. Após ultrapassar o bloqueio, com certa facilidade - como se vê no vídeo divulgado pelo portal Metrópoles -, centenas deles subiram a rampa do Congresso. Soltando foguetes e, aos gritos, pedindo um golpe militar contra o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os bolsonaristas quebraram vidro do Salão Negro do Congresso e danificaram o plenário da Casa. Na sequência, eles invadiram também o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal (STF), chegando a entrar no plenário do STF.


Antes da invasão, o grupo de centenas de bolsonaristas, que chegaram a Brasília em caravanas, estava concentrado em frente ao Quartel-General do Exército.


As imagens mostram que o reduzido efetivo de PMs que estava nas proximidades do Congresso Nacional usou sprays de pimenta em uma tentativa sem sucesso de conter os manifestantes que entoavam palavras de ordem golpistas.

Via redes sociais, o Ministro da Justiça, Flávio Dino, disse que "essa absurda tentativa de impor a vontade pela força não vai prevalecer". Ele acrescentou ter ouvido do Governo do Distrito Federal que o efetivo seria reforçado. "As forças de que dispomos estão agindo. Estou na sede do Ministério da Justiça", twittou o ministro.


O chefe da Secretaria de Comunicação, Paulo Pimenta, disse nas redes sociais, que tem certeza que a maioria dos brasileiros quer união e paz para que o Brasil siga em frente. “Essa manifestação é de uma minoria golpista que não aceita o resultado da eleição e que prega a violência. Uma minoria violenta, que vai ser tratada com o rigor da lei”.


Presidente do Senado e do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco disse repudiar "veementemente esses atos antidemocráticos", que, segundo ele, deverão "sofrer o rigor da lei com urgência". A Polícia Legislativa também está no local, na tentativa de conter a invasão.


"Conversei há pouco, por telefone, com o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, com quem venho mantendo contato permanente. O governador me informou que está concentrando os esforços de todo o aparato policial no sentido de controlar a situação", disse Pacheco.


Secretário de Segurança bolsonarista é demitido

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, determinou a imediata exoneração do secretário de segurança do DF, o bolsonarista Anderson Torres. Segundo o Estadão, Torres viajou para Orlando, na Flórida, onde está Jair Bolsonaro.


Torres foi ministro da Justiça do governo Bolsonaro antes de ser nomeado na semana passada secretário de Segurança Pública do Governo do DF. Via Twitter, antes de saber da demissão, o bolsonarista disse ter determinado ao setor de operações "providências imediatas para o restabelecimento da ordem no centro de Brasília".

Comments


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page